GATOS - PINGADOS

Pela enésima vez foi anunciada a «morte do PCP».
O obituário vem no Público de hoje e é autenticado por uma gata-pingada com larga experiência na profissão: do seu currículo consta uma persistente actividade anticomunista em diversas modalidades - primeiro, em gritaria pretensamente anticapitalista, mas sempre de punho cerrado contra os revisionistas e traidores da classe operária...; depois, e até agora, no sítio onde, afinal, sempre esteve e onde lhe pagam (sempre pagaram?) para estar, cumprindo a tarefa de propagandista do capitalismo dominante - de que é tarefa complementar a anunciação da «morte do PCP».
Chama-se ela, a cangalheira, Teresa de Sousa.

Recorde-se que é longa a lista de cangalheiros entregues à tarefa de anunciar a morte e o funeral do PCP desde que este nasceu - já lá vão 90 anos...
Um dos mais activos foi Salazar - que complementou os anúncios com uma assanhada perseguição aos comunistas, prendendo, torturando, assassinando, enfim, fazendo tudo o que podia para concretizar o anúncio.
O ditador tinha a imitá-lo um vasto rebanho de ecos que o repetiam nas palavras, nos gestos, na pose, no jeito de anunciar «a morte do PCP».

Salazar morreu, como é sabido...
Os seus ecos, obedientes, imitaram-no...
O PCP não.

Após o 25 de Abril, os anúncios da «morte do PCP» multiplicaram-se e, na medida em que as práticas salazaristas puras e duras deixaram de ter viabilidade, os anunciantes recorreram a novas formulações:
para uns, a «morte» passou a chamar-se «declínio», ou «declínio irreversível», ou «definhamento» - a caminho do «fim», é claro;
para outros, era a «perda crescente de influência», ou a «influência zero» - sempre a caminho do «fim»;
outros, ainda, proclamavam que um «partido de velhos», de «dinossauros», de «geriátricos», por isso «fechado às novas realidades», estava «irremediavelmente condenado à morte no curto prazo» - portanto, a caminho do «fim».
Houve, no entanto, os que, fiéis à causa da cangalha, não desistiram da «morte» - um deles, embalado de euforias, chegou mesmo a anunciar estrondosamente (por sinal também no inevitável Público) que «O PCP morreu ontem» - foi isto há 20 anos...
Alguns destes gatos-pingados finaram-se, entretanto, provavelmente anunciando até aos últimos instantes de vida... a «morte do PCP»

A frustração destes cangalheiros - anos e anos e anos a anunciar a «morte do PCP»... e nada... - há-de ser grande.
Talvez por isso, e para atenuar o ridículo, o anúncio de Teresa de Sousa contém uma inovação...
Diz ela que «o PCP morrerá de pé» - creio que querendo dizer com isto que... não é para já, ainda vai demorar algum tempo...
Logo acrescentando, no entanto, em jeito de profissão de fé: «Mas morrerá».

Esperemos, então. De pé. Mais 90 anos.

17 comentários:

Anónimo disse...

Tanto que se preocupam com o PCP. Porque será que lhes provocamos tais engulhos?

Campaniça

do Zambujal disse...

Comento o anterior comentador, com uma resposta... se me permites, Fernando Samuel? PORQUE ESTAMOS VIVOS, E vivos demais para as suas conveniências.
Quanto ao teu excelente post, só acrescento que essa sra. TS há muito é "cangalheira". O que não entendo é como, com o evidente desemprego nesse ofício, ainda recebe remuneração ou subsídio de desemprego.

Um grande abraço

samuel disse...

Parece-me que a grande insistência da Teresa e seus "colegas" no anúncio da morte... é uma secreta vontade de ficarem vivos mais esses 90 anos, pelo menos... para poderem contar. :-)))
Cá estaremos!

Abraço.

Anónimo disse...

Teresa de Sousa é uma comediante ridícula e uma pequena burguesa onde não tem onde caír morta. Provavelmente, por causa disso, lá se vai entretendo a anunciar a morte dos outros enquanto não lhe fazem o seu próprio funeral.
Podíamos chamar aos seus artigos fúnebres, "A Comédia da morta-viva"

Maria disse...

Uma certeza esta cangalheira (e seus amigos) pode ter: o PCP há-de vê-la morrer!

:)
Um beijo grande.

Anónimo disse...

Mais uma que passará sem ver o PCP morrer. Ela, entradota e rugosa, não vai ver os seus sonhos concretizados. Tal como Salazar há-de embarcar "desta para melhor" e o PCP ficará. Um conselho,o melhor é ir ao médico, de preferência ao psiquiatra.
Sentinela da Noite.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Vamos lá falar de mortes à séria :

- No Domingo morreu um dinossauro, sim, mas do PS, o velho poeta Alegre nem direito teve a passar pela UCI, foi directo para a morgue, e acho que ia em tão avançado estado de decomposição que o médico legista nem quis fazer a autópsia. Este já patinou !

- Antes, ainda antes das eleições, já a dupla CDS-PP e BE estavam defuntos. Porque partido que se preze e esteja vivo, apresenta o seu próprio candidato, coisa que nem uns nem outros fizeram.

- O próprio PSD está morto, e não é de agora, porque o caminho que o partido levou, em especial agora com a chegada de Passos Coelho ao mais alto cargo da sua estrutura, é algo que até a Sá Carneiro deve causar náuseas, esteja ele onde estiver. Acredito que Sá Carneiro era um Social Democrata convicto, que jamais desejaria encaminhar-se para este neo-liberalismo desenfreado a que o PSD aportou.

- Quanto ao PS, dizer o quê ? o resultado das presidênciais espelha o estado de defuntismo latente a que o seu ditador Socrático os levou.

Morto, morto de rir, fiquei eu depois de saber pelo post do Samuel que essa Sra. nos havia passado certidão de óbito.
Gostava de convidá-la, por exemplo, a aparecer nas jornadas de trabalho para a festa do Avante para ir ver o nosso "cemitério" da Atalaia, e os mortos que lá andam de martelo, prego e serra nas mãos.
Depois, pode ficar para a própria festa do Avante, que aquilo é um "velório" dos grandes.

Fica-me mal mandar a Sra. à merda ?

svasconcelos disse...

os comentários anteriores terão dito tudo! E em Março lá estaremos a comemorar mais um ANIVERSÁRIO!
Um beijo

joão l.henrique disse...

«os cangalheiros ladram e a caravana passa».

Um abraço.

Anónimo disse...

A TS (Tarada Sexual?...) não tem noção do ridículo.

Medronheiro

Nelson Ricardo disse...

Curioso, que o anti-comunismo cresce na mesma proporção que a ofensiva ao direito dos trabalhadores.

Quanto à TS, é uma daquelas senhoras que "vendeu" a sua consciência e a sua escrita à maior oferta.

Um Abraço!

Graciete Rietsch disse...

O PCP está vivo e viverá sempre de pé porque não trairá os seus princípios. E de pé continuarão os seus militantes,nos quais eu tenho a honra de me incluir, que lutarão até ao fim pela concretização desses ideais.

Um beijo

CRN disse...

Uma das razões, para além do interesse pessoal, que pode ter a crítica que vemos ao PCP por parte de todos os jornais da treta, é sem dúvida desviar as atenções para dar tempo aos seus donos curarem as feridas. Um caso concreto é a estratégia de culpabilização que o PS começou a utilizar com relação ao BE, recolocando este apêndice no sítio que lhe corresponde por princípio, o de figurante da sua telenovela.

A capacidade de resistir do PCP, a este ataque continuado e inquieto que promove o instituido, é revelador da importancia que à vista desarmada pode resultar pouco perceptível. Ainda com muito trabalho por fazer, sobretudo no relativo à necessária análise sobre preponderancia do imediatismo instalado na sociedade, mascarado de pragmatismo, será na sua essência como partido da classe operária, dos trabalhadores, que, mais cedo que tarde, vai encontrar o canal adequado para compartir a sua mensagem, que é a do povo, de forma ainda mais eficaz.

A mente do ser humano, em solitário, tem certa dificuldade em ajustar todos os seus sistemas à realidade, esta é demasiado dinâmica. Para não se perder, o Homem, só, agarra-se a heurísticos, preconceitos, estereótipos, histórias e teses deformadas e veiculadas por quem sempre promoveu a estabilidade, os mesmos que o preferem aletargado, sereno.

Jorge Manuel G disse...

Essa "senhora" que vá esperando...sentada!
Deviam explicar a essa "senhora" porque é que nós dizemos "O PARTIDO".

Saudações Comunistas
Jorge

Fernando Samuel disse...

Campaniça: sim, por que será?...
Um beijo amigo.

do Zambujal: dela se pode dizer que já nasceu cangalheira... e cangalheira morreu...
Um abraço.

samuel: lembras bem: é capaz de ser essa a razão essencial...
Um abraço.

Anónimo: é uma pobre cangalheira frustrada...
Um abraço.

Maria: embora ela seja, há muito, um cadáver adiado...
Um beijo grande.

Sentinela da Noite: nem nascendo 90 vezes ela via o seu sonho concretizado...
Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira: aí está como a brincar se pode falar à séria...
(não te fica nada mal...)
Um abraço.

svasconcelos: o 90º!
Um beijo.

joão l.henrique: deixa-os ladrar...
Um abraço.

medronheiro: o que é que queres?, a senhora escreve o que lhe pagam para escrever...
Um abraço.

Nelson Ricardo: ... a confirmar que... isto anda tudo ligado...
Um abraço.

Graciete Rietsch: e lutaremos - e venceremos.
Um beijo.

CRN: eles sabem bem por que é que fazem do PCP o seu alvo principal... e nós também sabemos qual é o nosso inimigo principal...
Um abraço.

Jorge Manuel G: ela sabe, só que finge não saber...
Obrigado pela visita e pelo comentário.
Saudações comunistas.

João Valente Aguiar disse...

Nunca vi ninguém tão preocupado com a pretensa morte do PCP e do comunismo como o capitalismo e seus acólitos... Curiosa atenção essa, do inimigo de classe, a um suposto cadáver...
Ou será porque, afinal, não é um cadáver, mas o futuro do fim da dominação de classe da burguesia? Eles bem sabem porque lhes interessa dar a imagem de que o comunismo teria morrido. Precisamente para retardar o fim do sistema social que eles defendem (e lhes defende os seus privilégios e mordomias à custa da exploração da imensa maioria da humanidade).

Um abraço!

João Valente Aguiar disse...

Nunca vi ninguém tão preocupado com a pretensa morte do PCP e do comunismo como o capitalismo e seus acólitos... Curiosa atenção essa, do inimigo de classe, a um suposto cadáver...
Ou será porque, afinal, não é um cadáver, mas o futuro do fim da dominação de classe da burguesia? Eles bem sabem porque lhes interessa dar a imagem de que o comunismo teria morrido. Precisamente para retardar o fim do sistema social que eles defendem (e lhes defende os seus privilégios e mordomias à custa da exploração da imensa maioria da humanidade).

Um abraço!