O NEGÓCIO DA GUERRA

Com o aval do seu Congresso e do seu Presidente, os EUA concretizaram um histórico negócio de venda de armas à Arábia Saudita - negócio histórico, na medida em que constitui a maior transacção de sempre no género: o negócio está avaliado em 60 mil milhões de dólares.

Com esta compra, a Arábia Saudita passará a dispor, designadamente, de mais 84 caças F-15 e mais 200 helicópteros (Apaches, Black Hawks e Little Birds) - armamento que não lhe fazia falta nenhuma, mas... os amigos são para as ocasiões, negócios são negócios e a venda de armas é o alimento número um da besta imperialista.

Com este negócio, os EUA confirmam-se como o maior vendedor de armas do planeta e, portanto, aquele que maiores lucros arrecada com o negócio da guerra.
Registe-se que mais de 66 por cento das armas vendidas no mundo são proveninentes do país que tem como Presidente o Prémio Nobel da Paz...
O que significa que há armas oriundas dos EUA em todos os países do mundo.
Armas que fazem guerras...
Guerras que, depois, «obrigam» os EUA ao «sacrifício» de mandar os seus caças F-15, os seus helicópteros (Apaches, Black Hawks e Little Birds)... para instalar a «paz»...

Não há dúvida: o negócio da guerra é o que está a dar.
Mais ainda se ele for feito em nome da «paz»...

14 comentários:

Nelson Ricardo disse...

Já na Europa, um eurocrata qualquer criticou os estados-membro por cortarem na aquisição de armamento.

Para estas mórbidas compras, há sempre dinheiro e nunca há crise.

Um Abraço.

Maria disse...

Mais uma vez fica demonstrado que foi uma vergonha o prémio nobel da paz ter sido entregue a Obama.

Um beijo grande.

Anjos disse...

Estas são apenas as do conhecimento público, e as outras???
Mas tudo vale em nome da Paz, a deles, claro, para os outros significa Guerra com todos os horrores a ela ligados (e que já aqui têm sido denunciados).
Como é possível considerar Obama Prémio Nobel da Paz ?
À excepção da cor da pele, em que difere dos antecessores?
Apenas, e a título de exemplo, o que fez em prol da causa palestiniana? Os Palestinos não são Homens? Não têm direitos? Foram espoliados de tudo (sempre com a bênção dos EUA): casas, terras, dignidade, …Vida e o sr Prémio… já pensou “ir ajudá-los” (uma das justificações no caso do Iraque)? Possivelmente irá um dia… para completar o extermínio deste povo martirizado.
E eis mais manifestações da hipocrisia mundial:
É desta massa que se fez um Prémio Nobel da Paz, e, embora a "crise" (que jeito ela dá para as justificações...)seja mundial, para comprar armas já não existe.

Que NOJO!!!!!!

Um abraço

Justine disse...

O absurdo como motor do nosso quotidiano! A importante e lúcida desmontagem que fazes desse absurdo!

joão l.henrique disse...

É uma monstruosa vergonha o Obama ser o Prémio Nobel da Paz e ao mesmo tempo o Presidente de um país que mais armas de guerra vende para todo o mundo.

Um abraço.

Antuã disse...

Mas que esperar do Prémio Ignobel da Paz?

Graciete Rietsch disse...

Vem aí a Cimeira da NATO ou melhor a Cimeira da Guerra e nós alinhadinhos com os OBAMAs fazedores de guerra.

Um beijo.

trepadeira disse...

Ainda não desisti de ver o pobre,digo,o santo virar-se contra a esmola.
Um abraço,
mário

filipe disse...

Armas para o fiel aliado petrofascista saudita - desta ditadura sanguinária não fala a imprensa/voz do dono imperialista -, armas evidentemente destinadas a serem usadas na próxima agressão neonazi ao Irão, agora designado, depois do Iraque e do Afeganistão, o alvo militar prioritário dos "democratas" USA e seus capangas da Nato.
Abraço.

O Puma disse...

O sr Obama

não sabe de nada

duarte disse...

sou da mesma opinião do filipe...embora ache que neste caso as consequencias podem ser mais pesadas do que no caso do Iraque.
A venda de armas , por outro lado, foi o que transformou uma federação cheia de contradições , numa crescente potencia mundial.
abraço do vale

Fernando Samuel disse...

Nelson Ricardo; o capitalismo é a guerra.
Um abraço.

Maria: é um nobel da paz à maneira... imperialista.
Um beijo grande.

Anjos: o sr Prémio Nobel está sempre do outro lado da paz, da justiça, da liberdade...
Um abraço.

Justine: o quotidiano absurdo que vivemos...
Um beijo.

joão h.henrique: são as vergonhas tradicionais do tempo que vivemos...
Um abraço.

Antuã: dele só há esperar isto...
Um abraço.

Graciete Rietsch: aliás, como no tempo do fascismo...
Um beijo.

mário: já era tempo...
Um abraço.

filipe: um velho filme que se repete...
Um abraço.

O Puma: pois não, é um pobre ignorante destas coisas...
Um abraço.

duarte: as armas «valem» muito...
Um abraço.

samuel disse...

Não fosse "A Paz" pacífica... e alguns dos seus auto-proclamados arautos cairiam fulminados de cada vez que abrissem a boca.

Abraço.

Fernando Samuel disse...

samuel: é a sorte deles...
Um abraço.