PARA APLICAÇÃO INTEGRAL

Enquanto Barack Obama tomava posse como Presidente dos EUA - em espectáculo transmitido em directo para todo o mundo - por cá tinham início, em Guimarães e no Porto, os julgamentos de uns tantos perturbadores da ordem. Perdão: da Ordem! (respeitinho é que é preciso...)

Segundo nos dizem os média, Obama é - para além da «liberdade» e etc. - a «mudança», a «esperança», a «bonança» e etc.
E ele, no seu discurso de tomada de posse, confirmou e precisou: disse que sim, que é isso tudo - e que é isso tudo para maior glória dos EUA...

Deixemo-lo, então, entregue ao seu «sonho americano» - a essa muito peculiar modalidade de sonho cuja concretização plena, assente na ideia de que o que é bom para os EUA é bom para o mundo, passa precisamente pelo domínio do mundo - e voltemos aos julgamentos de Guimarães e do Porto.

Os réus são oito: quatro dirigentes sindicais, três membros de movimentos de utentes de transportes e uma estudante do Ensino Secundário. Todos acusados do gravíssimo crime de se manifestarem publicamente contra a política do Governo, por isso todos perigosos...
Na verdade, trata-se de oito cidadãos portugueses que, exercendo direitos conquistados com a Revolução de Abril e consagrados na Constituição da República, se juntaram a muitos outros e vieram para a rua expressar o seu desacordo com uma política que lhes rouba direitos fundamentais.
Na verdade, trata-se do prosseguimento e intensificação da ofensiva do Governo PS/Sócrates contra os direitos, liberdades e garantias dos trabalhadores e dos cidadãos - no quadro de uma prática governativa que todos os dias nos rouba pedaços da democracia e da liberdade que conquistámos em 25 de Abril de 1974.
E sempre em nome do conceito de «democracia» e de «liberdade» fabricado nos EUA e exportado massivamente para todo o Planeta, comordem da marcha imperativa: para aplicação integral.

10 comentários:

Aristides disse...

É cada vez mais triste viver neste país, onde se deturpa a verdade, onde se impede o exercício dos mais elementares direitos duramente conquistados mas, em contrapartida, nos enchem a barriga de Ronaldo, de Maddies, de sargentos Gomes, e tantas outras e importantíssimas minudências.
Abraço camarada

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

Não hei-de eu ter frio?!

beijos

samuel disse...

E o que é inquietante é que já nem se dão ao trabalho de disfarçar.

Maria disse...

Excelente post! Como é hábito...
... até onde, e até quando? E vão ser mais 4 anos...

Um beijo grande
(ganhando paciência...)

Antuã disse...

E a luta continua. Até quando?!... Sempre.

Mar Arável disse...

Todas as caldeiradas são boas

desde que

com peixes frescos

Obama pois claro

mas a sua equipa já pescou

em mares

já antes navegados

e até em águas estagnadas

Obama por instantes

porque a questão está no sistema

do zambujal disse...

'Tás tu com preocupações...
Vais ver que ainda há por lá (e por ai) uns juizes que absolvem os perturbadores da Ordem - se calhar com uma reprimenta paternalística do género "não repitam a malfeitoria... peçam licença aos senhores..." -, e disso se faz uma demonstração de que vivemos em democraCIA.

Um abraço

Hilário disse...

Fernando,
Tivemos, estamos, estaremos sempre prontos para combater qualquer obstáculo, venha de quem vier.

A luta continua!
Um Abraço

Hilário disse...

Fernando,
Tivemos, estamos, estaremos sempre prontos para combater qualquer obstáculo, venha de quem vier.

A luta continua!
Um Abraço

Fernando Samuel disse...

Aristides: é este o conceito de democracia deles...
Um abraço.

Ana Camarra: e com muitas razões...
Um beijo.

samuel: estão já em estado de exibição permanente das suas «prendas»...
Um abraço.

Maria: é preciso muita paciência e muita luta.
Um beijo grande.

Antuâ: exactamente: sempre!
Um abraço.

Mar Arável: excelente síntese... e o último verso diz tudo.
Um abraço.

do zambujal: e olha que não me admirava nada que assim fosse.
Um abraço.

Hilário: sobre isso não há dúvidas.
Um abraço.