O DISCURSO DO CHEFE

Informa o DN que o Instituto de Emprego o Formação Profissional (IEFP) abriu 18 concursos para 173 vagas.
Nos 18 concursos são abertas as promoções para lugares que vão desde conselheiro de orientação profissional/assessor a técnico superior de formação.
Até aqui, nada a registar.

Diz ainda a notícia que os requisitos de candidatura aos vários lugares de promoção, descritos em 18 circulares informativas, incluem em todos os casos uma prova escrita de conhecimentos para a qual é recomendada documentação considerada relevante para o efeito.
Até aqui, tudo bem.

Ora acontece - e aqui é que a coisa aquece - que, entre essas leituras recomendadas para os 18 concursos se inclui, nem mais nem menos do que um discurso de José Sócrates!!!
Percebe-se a intenção: é a palavra do Chefe, não é verdade? - e, como tal, deve ser lida, estudada, assimilada e debitada.


Quem assim não pensa é o Sindicato Nacional dos Técnicos de Emprego, segundo o qual (diz o DN) a recomendação de leitura de um discurso do primeiro-ministro, num concurso de um organismo público, pode representar «uma indecorosa "partidocratização"(ou na nossa própria acepção, "apparatchikização") do aparelho do Estado».

Mas o mais provável é que o Sindicato não esteja a dar a devida importância ao discurso do Chefe...
Porque o Chefe é que sabe.
O Chefe é o Mestre.
O Chefe é o Chefe.

E o Chefe é... Sócrates.

12 comentários:

Ana Camarra disse...

fernando Samuel

Por acaso soube dissso estar tarde e achei o cumulo da desfatez, onde chegamos?!

Infelizmente é verdade, tem que se dar a volta isto!

beijos

Chalana disse...

Qualquer dia desenterram aqueles cintos com o S de... Sócrates! Lindo "Serviço"

Antuã disse...

Mas este Sócrates sabe português?!... aquela bodega não tem ponta por onde se pegue.

poesianopopular disse...

Não acredito!
É brincadeira só para a gente se rir, não é?
A não ser assim, a coisa é muito mais séria, e então temos de preparar a cadeira para o Sr. Presidente do Conselho!
abraço grande

samuel disse...

Curioso... eu pensar exactamente o mesmo que o pessoal do Sindicato...
Até tinha aqui ao meu lado um papel com um apontamento para fazer um texto no blog exactamente sobre a importância de se estudar os discursos do senhor presidente do conselho...

É uma história extraordinária, não é?

Abraço

Maria disse...

Voltámos com este ACTO ao tempo do botas... como é que é possível?
Se não lesse aqui não acreditava.

Um beijo grande

Anónimo disse...

Antes que este também caia da cadeira, resignemo-nos:
"Servir Sempre Sócrates"!

Rui Silva

Anónimo disse...

Trapalhada das trapalhadas... Onde chegamos?
Denunciemos isto. Em Luta!
Abraço

do zambujal disse...

Eu, que nos idos de 75, andei por esses lugares e tarefas, sinto... vergonha.
Obrigado pela denúncia.
Abraço

amigona avó e a neta princesa disse...

Estou assim a modos que...olha nem sei!

Abraão disse...

Por favor confirmem-me que a ditadura fascista foi derrubada em 25 de Abril 1974.
Só falta a este (des)Governo terminar os ofícios e todos os documentos com a frase "A Bem da Nação" e obrigar as escolas a iniciarem as aulas com o hino da Mocidade Portuguesa.

Fernando Samuel disse...

Ana Camarra: ao qu'isto chegou, não é?
Um beijo.

chalana: qualquer dia... pois...
Abraço.

Antuã: mas é o chefe...
Um abraço.

poesianopopular: não é para rir, não, é mesmo a sério..
Abraço.

samuel: e fizeste um óptimo texto.
Um abraço.

Maria: «Na família o chefe é o pai, na escola o chefe é o mestre, na nação o chefe é salazar»...
Um beijo grande.

rui silva: que a cadeira te ouça e actue...
Um abraço.

ludo rex: o chefe é assim...
Um abraço.

do zambujal: outros tempos, outros tempos...
Um abraço.

amigona avó e a neta princesa: pois, eu também...
Um beijo.

Abraão: Foi. Mas... eles andam por aí...
Um abraço.