DISPARAR A MATAR

António Manuel Pina, na sua crónica de hoje no Jornal de Notícias, disparou a matar sobre uma decisão aprovada pela Comissão de Direitos Humanos da ONU.
Porquê tão mortíferos disparos?
São essencialmente duas, as razões invocadas pelo cronista:
1 - porque a decisão aprovada, condena «firmemente» a agressão de Israel e exige «a retirada das tropas israelitas» - coisa grave, certamente, na opinião do cronista;
2 - porque a decisão «cita 16 vezes Israel e a agressão israelita contra os direitos humanos do povo palestiniano» e, vejam bem!, «quanto ao Hamas é como se não existisse» e, vejam bem!!, no texto da decisão, «mesmo os "rockets" sobre civis israelitas, citados timidamente, não têm autor» - na verdade, não há direito de tratar assim gente de bem como são os governantes israelitas ... e esquecer assim, vejam bem!!!, os «rockets»!, os «rockets», senhores!!.

Mas há mais.
Sabem quem é que convocou a sessão da Comissão de Direitos Humanos que tomou tal decisão?
O cronista responde, vertendo ironia por todos os orifícios: «tudo gente respeitadora dos direitos humanos» - como, por exemplo, Cuba...
E é visível o enlevo democrático do cronista quando cita países que se abstiveram ou votaram contra a decisão: o Canadá, os países da União Europeia, o Japão, a Suiça - enfim, nestes casos, sim, tudo gente respeitadora dos direitos humanos...

8 comentários:

samuel disse...

Grave, seria ter real importância aquilo que o Pina opina, ou pina...

Antuã disse...

A vida encarrega-se de esclarecer onde é que certos "cronistas" realmente se encontram.

Maria disse...

O homem vai candidatar-se a presidente da protectora dos animais (que merecia melhor presidente, a bem dizer)...

Beijo grande

poesianopopular disse...

Estes lacaios do capitalismo, já perderam a compostura de homens, limitando-se a ser vermes, patéticos,limitando-se a escrever para ignorantes,fazendo papel de autênticos bobos da corte.
Que vómitos!
Abraço grande

GR disse...

Quando se está entre o PS e o BE, que mais podemos esperar?

GR

alex campos disse...

Tá bisto, ninguém compreendeu o Pina que não opina. Ele tem é de agradar ao patrão, por isso é que prescinde de opinião própria.
Mas tá bem, devemos ter para com ele a mesma compreensão que os sionistas têm pelo respeito dos povos.

abraço

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

Impressionante a imparcialidade do jornalismo português, impressionante.

beijos

Fernando Samuel disse...

samuel: ó... pina... pina...
Um abraço.

Antuã: é nestes momentos que eles se mostram melhor...
Um abraço.

Maria: pobres animais...
Um beijo grande.

poesianopopular: há por aí mercenários da escrita a dar com um pau...
Abraço grande.

GR: entre os dois e com os dois...
Um beijo.

alex campos: e se calhar até julga que tem opinião própria...
Um abraço.

Ana Camarra: estes rapazes são a personificação da imparcialidade...
Um beijo.