«VIVA LA MUERTE!»

Eufóricos, os média dominantes anunciam para breve a «vitória dos rebeldes líbios»- e contam dos seus avanços, das cidades que conquistaram, do cerco a Tripoli... «está por dias» - e mostram fotos de grupos de «rebeldes» de braços no ar e dedos em V.

Quem os leia, ou ouça, e não disponha de informação, ficará a pensar... o que eles querem que pense: que os «rebeldes» constituem uma «força poderosa», imparável, capaz de fazer frente com êxito às «tropas do ditador»... - e uma «força libertadora, obviamente...

Por isso silenciam cirurgicamente os bombardeamentos da NATO, os mais de mil bombardeamentos diários que, desde há seis meses, espalham a destruição e a morte na Líbia e, assim, abrem caminho aos celebrados «avanços dos rebeldes»...

«Tripoli está por dias» - gritam, entusiasmados estes arautos da «liberdade de informação»...
E não dizem que as bombas da NATO acabaram com a energia eléctrica na capital, e que a água potável escasseia e quase está reservada apenas para os hospitais; e que as doenças proliferam e a morte alastra porque o embargo não deixa entrar medicamentos...
E assobiam para o ar face à hipocrisia criminosa da «protecção de civis», patente em tudo isso e mais nos muitos milhares de civis mortos, feridos e estropiados...
E silenciam os alertas do chefe das missões do Comité Internacional da Cruz Vermelha, Boris Michel, para o qual «as sanções impostas pela ONU contra a Líbia não são compatíveis com o direito internacional» - acentuando que mesmo «os mecanismos de excepção para a ajuda humanitária (previstos na decisão da ONU) não estão a ser observados na prática»...


Um dia destes, provavelmente, a Líbia será dominada pela força bruta do imperialismo.
Provavelmente, cairá nas garras dos que ordenaram os bombardeamentos, a destruição, a morte.
Provavelmente passará a ser mais uma colónia dos EUA.

E se assim for, os média dominantes gritarão que Tripoli caiu; e gritarão que a Líbia foi libertada; e gritarão que a democracia, a liberdade e os direitos humanos triunfaram.
E com essa gritaria estarão a dizer, por outras palavras, o que o outro dizia gritando «Viva la muerte!».


17 comentários:

trepadeira disse...

Até que os criminosos sejam julgados.

Um abraço,
mário

Anónimo disse...

É comovente a preocupação com os "bons" líbios. Vocês (os comunistas) têm por hábito seleccionar as vossas preocupações.

joão l.henrique disse...

"Os média dominantes" gritam e gritarão sempre, o que os seus patrões (donos!), lhes mandarem. Até ao dia em que a "casa" vai abaixo...

Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Está na calha o 2º Prémio Nobel da Paz para Obama, está visto !

Anónimo disse...

Não desgraçado, os anexistas não vão proclamar "Viva la muerte", mas sim «viva o imperialismo e o petróleo que agora é nosso».
Mas quando as coisa aconteceram com Saddam e com os talibans vcs estiveram sempre, sempre, ao lado do imperialismo. E com Bin-laden nem vale a pena falar.
Se quiserem perceber um bocadinho de táctica dirigida pela lógica da dialéctica leiam «Os Fundamentos do Leninismo» de Staline e talvez deixem de dizer tantos dislates inconcebíveis para quem se reclama da teoria científica do marxismo-leninismo.
Até lá, vão à Festa do Avante, bebam uns copos, dêem muitos beijinhos uns aos outros e sejam muito felizes.
Acho que já não é nada mau, pois não?

Maria disse...

Os mesmos do costume. Com os métodos do costume.
Até quando?.....

Um beijo grande.

Graciete Rietsch disse...

Como os anónimos são insignificantes!!!
Nem se identificam!!!

Entretanto os que estão do lado do futuro ,indiferentes às calúnias,continuam a luta pela verdade das criminosas ações desses "defensores dos povos oprmidos"

Um beijo.

Anónimo disse...

Graciete estúpida!
Se me identificasse já não era anónimo.
LOL

Mantorras disse...

olha lá ó chispa gordo de óculos, sexagenário, operário, com nódoas na camisa, chega assim a identificação ou queres que diga o teu nome que sei-o tão bem quanto tu?!?

samuel disse...

Os assassinos imperialistas e os seus declarados apoiantes, têm, como sempre tiveram, os anónimos ultra, híper, super, rifi revolucionários a pavimentar-lhes o caminho e a servirem de passadeira... ou capacho.

Abraço.

Maria Albertina disse...

Gaita que o Mantorras deve ser bruxo. Acertou em tudo. Para disfarçar vou passar a designar-me por Maria Albertina (como o espião da guerra do Solnado). E é para já.
Maria Albertina

Anónimo disse...

Os dois tontinhos pela cultura do pontapé na bola (Mantorras e Chalana) se construíssem um diálogo sobre futebol e espionagem e se fossem acompanhados à viola pelo Samuel, superavam estrondosamente os outros dois dos Malucos do Riso da SIC.

Fernando Samuel disse...

mário: e serão, nem que seja a título póstumo.
Um abraço.

joão l.henrique: esse será o nosso dia.
Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira: e bem merece...
Um abraço.

Maria: até acabarmos com eles...
Um beijo grande.

Graciete Rietsch: eles ladram e a nossa caravana passa...
Um beijo.

samuel: é dos livros...
Um abraço.

Anónimo disse...

Até lá, vão-se debater com a resistência do povo líbio e as treze tribos que já disseram estar do lado de Kadhafi.

Aqui, a comunicação social está como esteve "a outra" no tempo da guerra do Vietname. Pouco ou nada diz, deixando a nós (pessoas que se querem esclarecer) o trabalho de se documentar.

Anónimo disse...

Quais livros Fernado Samuel? Os do revisionismo que abundam nos caixotes do lixo, ou os do marxismo-leninismo que estão no index decretado pela pandilha do Nikita? Como sabes há livros e livros, mas os teus não são muito aconselhéveis porque tresandam a traição.

Antuã disse...

Quando é que deixam de passar cartão aos anónimimos imbecis e nazis?

Anónimo disse...

Daha!!! Acordem palhaços!

Vocês são de ir às lágrimas: então agora o bom do Kadafi, notório gamante que se encheu e á família e deixou o povo libio na maior miséria, só porque levou com umas bombas americanas, já é herói do povo???? Tenham juízo!