AMÉN!

O facto de Bento XVI visitar a Espanha pela terceira vez desde que é Papa, não é obra do acaso.
Antes obra de Deus parece ser, já que o Papa considera ser a Espanha o país com mais condições para «relançar a fé católica»...

Não vou aqui estender-me em considerações sobre esta visita do Papa: para já, não comentarei nem os 50 milhões gastos, com os quais o governo espanhol mostra que dinheiro não falta para as coisas úteis; nem o apelo conjunto do Papa e de Zapatero à comunidade internacional para olhar para a situação dos que morrem à fome no Corno de África, onde Deus dorme e ressona; nem as múltiplas intervenções de Bento XVI relançando a fé católica, ou seja: vendendo o seu peixe a quem tem disponibilidade de compra...
Apenas digo que nada disto era necessário: nem a visita e os respectivos 50 milhões; nem a fome no Corno de África e no resto do mundo; nem a venda de fé...
Com efeito - e como no post anterior nos diz o Pasolini - bastava um gesto teu, Bento XVI, uma palavra tua, Pastor alemão...


Muito menos comentarei a mega-confissão, no decorrer da qual, em 200 confessionários instalados ao ar livre, 800 padres, revezando-se, ouviram, em várias línguas, as confissões de milhares de pecadores - tantos são os pecadores no teu rebanho, Pastor!- e, em várias línguas, os absolveram de todos os seus pecados - muitos e capitais pecados praticam os teus carneiros e as tuas ovelhas, Pastor!...

E quando eles, carneiros, e elas, ovelhas, souberem que «pecar não significa fazer mal, não fazer bem é que significa pecar»... então não há padres que cheguem para tanta confissão - nem com horas extraordinárias...

Amén!


25 comentários:

cid simoes disse...

E os Ateus Senhor!...têm que vos sofrer assim como ao vosso rebanho?
Do vosso céu bendigo a chuva que nos alimenta e peço-vos para o não poluirem com a vossa nefasta presença.

Sérgio Ribeiro disse...

Ora aqui está um texto merecedor de benção e de encaixilamento!
Que deus te perdõe, que nós te agradecemos pelas tuas santas palavras por amaldiçoadas que sejam dada a sua heresia.
Gostei particularmente - falo por mim, pecador renitente e inconfesso - do verbo ressonar tão ajustamente aplicado à postura do deus d'eles relativamente ao corno de África, postura que se estende a todo o mundo que capitalista e dolarosamente evangelizam. Ah!, como deus resson(h)a com a salvação eterna dos pobres de Cristo, cujo este dizem (eles) ser o filho não digo (eu) de quem, até porque a senhora não teve culpa e virgem teria morrido (dizem eles).
E por aqui me fico... até porque estava a embalar, estimulado pela tua mensagem que volto a muito agradecer.

Grande abraço

trepadeira disse...

E como gosto de me confessar,todos os dias,nesta praça pública,dizendo da raiva,revolta e nojo que sinto.

Um abraço,
mário

Graciete Rietsch disse...

Onde colocam eles Deus quando falam na fome,na miséria,nas desgraças e na riqueza tão mal acumulada que existe neste Mundo"que ele criou e protege"1
Decerto,Deus era americano!

Um beijo.
Agora, só provavelmente depois da Festa, voltarei aqui, porque vou passar uns dias a Peniche, sem computador.

Mais um beijo.

vovó disse...

as únicas papas que suporto...e com muito agrado:
papas de sarrabulho (agora iam "uminhas"! :)...)
papas grossas (especialidade da minha ilha)... e outras e outras, de que agora não me lembro. todas bem comestíveis, porque quanto a papas," esses", são todos intragáveis!
que fartote!!

beijocasssssss
vovómaria

Anónimo disse...

Nem uma palavra de Bento XVI aos que morrem na Líbia, das bombas da NATO (com urânio empobrecido)...

Os confessionários bem provam o enorme circo de plástico, artificial, que é hoje a Igreja dita "Católica", uma igreja apostada mais em vender o culto do que praticar as acções.

Maria Albertina disse...

Mais um artigo moralista a questionar o problema do BEM e do Mal. Como o cavalheiro que o trata nunca estudou minimamente Hegel que nos dizia na sua racionalidade amoral que não existe luta entre o BEM e o MAL mas sim entre dois BENS. E, porque também nunca teve tempo para ler a Filosofia da Miséria de K. Marx, vem agora impingir-nos com esta fábula já toda rota de que o BEM é não praticar o MAL. O que vale é que tenho aqui o cesto dos papéis mesmo à mão...

Anónimo disse...

Maria Albertina
como foste nessa
de chamar Vanessa
à tua menina...

Anónimo disse...

OH idiota eu não chamei Vanessa, mas M. Albertina. Não sabes ler?
Mas porque não discutes a essência da questão do filósofo F. Samuel, que é o problema do BEM e do MAL?
Então vcs eruditos será que têm o cérebro no estômago como a vovómaria das beijocasssss?

vovó disse...

que engraçado!! :))) este anónimo (16:20)/MªAlbertina, faz-me lembrei um agente da PIDE, que me abordou vai para muitos anos. era broncooooooo!!!...:))))...

Justine disse...

Tudo isto é tão ridículo! E tão hipócrita!

joão l.henrique disse...

"800 padres ouviram as confissões dos pecadores"? Tál foi a coscuvilhice que por alí andou naquele turismo relegioso que tanto vai custar ao contribuinte espanhol!..
Sendo que apenas 27% dos católicos vai à missa e estando o País a passar por uma forte crise (mais de 20% de desempregados), parece-me desnecessária tál visita naquelas circunstâncias.

Um abraço.

Anónimo disse...

Com certeza que o pide que abordou a vovó há alguns anos devia ser muito, mesmo muito bronco. Porquê abordá-la? Para lhe perguntar se gostava de amendoíns?
Isto faz-nos lembrar o recente livro de memórias da Zita Seabra que nos conta a história secreta da sua vida clandestina... ao seriço do PCP e da sua luta anti-fascista...

gina henrique disse...

Ontem entrei numa loja onde se falava da 3ª. visita de Bento XVI, a Espanha, em seis anos de pontificado, e, para além das verbas gastas desnecessàriamente, em tempos tão difideis para a maioria,como toda a gente de bom senso fará o favor de reconhecer,ouvi um comentário que de tão inesperado me surpreendeu e por isso não resisto a passar : dizia a pessoa ( rapaz + ou - 30 anos ) " Depois das jornadas católicas nem imaginam quantas raparigas ficam grávidas " !!!

Zé Canhão disse...

Quanto é que levas, ó Maria Albertina? Quem é o o teu proxeneta?

Anónimo disse...

É verdade, Gina Henrique. Muitos miúdos vão naquela conversa que "somos todos pecadores" e que a Igreja Católica é uma "igreja de pecadores", mas que no final os pecados são todos absolvidos, "pela graça de Deus".
E entre tanta graça, cantiga e guitarrada, há sempre um diabrete por lá metido...

Ao que parece, o Diabo gosta muito destas festas, onde a inocência se mistura com a arte de fazer muito dinheiro.

Antuã disse...

Enquanto Jesus distribuia os papas acumulam.

GR disse...

Depois de ter lido o excelente post e o grande comentário do Sérgio,nada mais tenho a dizer.

BJS,

GR

Maria disse...

E eu faço minhas as palavras da GR!

Um beijo grande.

samuel disse...

Belo texto! Excelentes comentários... até o da maria albertina que, a fazer fé no aqui que escreve, quando não gosta de um texto de um post... atira o computador para o "cesto dos papeis mesmo à mão"... o que é uma proeza apenas ao alcance de gente portadora da estupidez mais espessa. :-))) :-)))

Ah... e acrescentaria que, pelo que vejo e pelo calibre e elevação do seu debate, "maria albertina", você não parece um pide. Você é um pide! Um dos pides provocadores que se disfarçam de esquerdistas. Sempre os houve... desde que houve PIDE e até agora.

Anónimo disse...

Essa do computador no cesto dos papéis, apesar da acessibilidade metafórica, está muito bem vista.
Muito bom é também o boneco dedilhando a viola,só é pena que não seja um poster em tamanho maior.
Sobre o pide ser ou não ser é que está falho de imaginação por ser argumento suficientemente repisado. Fora isso, desta vez o letrista/compositor merece palmas.

Fernando Samuel disse...

cid simões: amén...
Um abraço.

do zambujal: podias embalar mais mais: só nos fazias bem...
Um abraço.

mário:há confissões e confissões, é claro...
Um abraço.

Graciete Rietsch: então, até à Festa.
Um beijo.

vovó: das de sarrabulho eu também gosto muito; as da tua ilha... não conheço, mas devo gostar: papas desagradáveis só... os ditos...
Um beijo

Anónimo 13H58: ele não foi lá para falar da Líbia, etc: as «guerras» dele são outras...

vovó: sabes lá se não seria ele mesmo...
Um beijo.

Justine: e tão próprio dos tempos que vivemos...
Um beijo.

João l.henrique: foi uma lavagem de cérebros colectiva...
Um abraço.

gina henrique: e não é daí que virá qualquer mal ao mundo...
Um beijo amigo.

Antuã: eles papam tudo...
Um abraço.

GR: então até dia 2..
Um beijo.

Maria: um beijo grande.

samuel: podes crer; eles andam por aí...
Um abraço.

Anónimo disse...

Pois é Samuel atrasado mental, fui eu mesmo que interpelei a vóvó igorante e perguntei-lhe se ela gostava mais de amendoíns do que de bananas do choupal. És mesmo estúpido e reaccionário. A burguesia faz de ti um farrapo cheio de vermes pestilentos. Vai-te tratar, mas aqui não te safas com tanta imbecilidade que tens na cabeça.

Afonso Gonçalves disse...

Oh Zé Canhão, tu és daqueles que vais às putas e perguntas o preço e o serviço? Afinal que comunista és tu?
Não sabes que a prostituição é uma das actividades mais degradantes da vida humana e ainda por cima perguntas quanto é que levas?
Só por isso não achas que és de facto um imbecil nazi? Que dirão de ti as tuas camaradas da tua tribo ordinária?

Zé Canhão disse...

Ó Afonso quem é que te disse que eu sou comunista? Eu sou um simples gajo a quem a tua mãe engole.