QUE CHEIRO A SUOR! PFFFFF...

A família dos multimilionários está preocupada - e muitas são as razões para isso.
Vejam bem que alguém colocou a hipótese de eles retirarem umas migalhitas às suas fortunas, como ajuda à «superação da crise»!
Ora, mesmo tratando-se de uma hipótese académica - isto é: só para encher jornais, alimentar conversas e desviar a atenção das pessoas daquilo que é essencial: as causas e os causadores da «crise»- o certo é que eles, os multimilionários estão desagradados com a coisa.

É claro que ninguém está a pensar em grandes doações, em verbas fabulosas, nada disso, para o que é uns trocos chegavam, e parecia bem, não é verdade?, era um gesto bonito - além de que, e isso era o mais importante, tal acto cortava o pio a esses agitadores que andam por aí a insultar os governantes, chamando-lhes mentirosos por dizerem que «os sacrifícios são para todos»...
Por outro lado - ou do mesmo lado... - é óbvio que, como pode depreender-se da reacção calorosa do inevitável Obama às declarações beneméritas do seu dono Buffett, Washington veria a coisa com bons olhos - e, como «o mais rico do mundo» fez questão de sublinhar, o que é preciso é salvar e dar mais força ao capitalismo para que as grandes fortunas cresçam, cresçam...

Assim, alguns multimilionários lusitanos foram inquiridos sobre se sim ou não estariam na disposição de, hipoteticamente, largarem mão de parte - pequena, pequeníssima parte, parte simbólica, digamos assim... - da sua fortuna para «superar a crise».
As respostas foram diversas: uns dizem que sim, mas... isto é, não; outros dizem que nem sim nem não antes pelo contrário; e outros dizem que nem pensar.
(isto, sendo a brincar: imagine-se o que diriam se fosse a sério!...)

Entre os que nem pensar... está o incontornável Américo Amorim, também conhecido por Corticeiro ou por «um dos mais ricos» ou por «o mais rico»...
E sobre ele há que dizer desde já que o homem não é assim tão rico como à primeira vista pode parecer, ele o diz... - além de que os encargos que tem são elevadíssimos: imaginem que, só de impostos, paga todos os anos - ele o declara - dezenas de milhares de euros!
Então, é bem de ver que a pagar impostos tais, o pobre às tantas nem dinheiro tem para comer e dar de comer à sua família...

Num gesto grandíloquo e nobre, Amorim fez, a propósito, uma confissão pungente e por demais esclarecedora:
«Não me considero rico, mas um simples trabalhador».

É de homem! É de homem de trabalho!...


Portanto, que fique claro: Amorim não é rico. Amorim trabalha. Amorim é trabalhador. Amorim ganhou o que tem e ganhará o que virá a ter com o suor do seu rosto.

Que cheiro a suor!Pffffff...


18 comentários:

trepadeira disse...

Parece que o cheiro é mais a .... caca.

Um abraço,
mário

GR disse...

É triste ter tanto dinheiro e tão pouca cultura! estes fascistas nem coragem têm para se assumir. O que mais me irrita é que ameaçam…e se continuam com esta conversa…retiramos o dinheiro do país.
O Amorim se tivesse consciência via os contratos que deus aos seus operários. Quanto ganham? o que fazem quando estão doentes devido à inalação da cortiça.
Vou começar a ganhar dinheiro, visitas turísticas à terra do Amorim, mostrando como um parolo rico vive.
De tanto nojo que metem cheiram mal.

BJS,

GR

O Puma disse...

Tresanda

do Zambujal disse...

... apesar dos desodorisantes e dos perfumes...
É nauseabundo... e não é de suor!

Um abraço

Maria disse...

O cheiro da exploração capitalista é nauseabundo. Muito pior que o cheiro a suor, de que até gosto, quando o trabalho dá (e deve dar) gozo!
Haja água a seguir...

Um beijo grande.

Anónimo disse...

Ai Maria, Maria o que tu tens é inveja.
E a que cheira a exploração socialista? A rosas, não? Já sei: a cravos.
Ah! Tinha-me esquecido que o capitalismo é (valha-me Deus!) a exploração do homem pelo homem enquanto que o socialismo é precisamente o contrário. E vivem que todos muito felizes.
Que grande invenção!
P.S. Desejo que te saia o Euromilhões desta 6.ª feira.

Anónimo disse...

A esquerda portuguesa perdeu uma das suas bandeiras reinvindicativas para se poder distinguir da direita e se afirmar defensora dos direitos dos trabalhadores. Louçã, J. Sousa e C. Silva os 3 mosqueteiros na luta contra o capitalismo selvagem ficaram sem a sua dama e agora segue-se o seu miserável destino para o seu trágico desfecho.

Anónimo disse...

Então, Sr. Luz («Chispa»)? Duas mensagens anti-comunistas às 03:48 e 04:30. O Sr. J. Luz não dorme descansado, sem estar no computador a ver o que é escrito no «Cravo de Abril».
Há gente que serve para tudo e para «estes malucos» estarem acordados a esta hora da manhã, para escreverem as suas provocações, é porque o «Cravo de Abril» lhes provoca algumas dores de consciência.

samuel disse...

Mas pelos vistos há quem goste...
Anónima e pateticamente... mas gostam! :-)))

Abraço.

Anónimo disse...

Eu sou septuagenário e vois sois uma parte do meu alimento.Nunca fui capaz de me inscrever em qualquer partido (porquê não sei...)mas creio que pensava manter a genuinidade do meu pensamento .Assim tera acontecido Fortunas milionárias em Portugal?O que poderia esperar-se delas?.
Abraço .

Anónimo disse...

Pateticamente e bem identificados como revisionistas que defendem despudoradamente o Muro de Berlim e a conciliação anti-leninista com os liberais do PS, para além da corrupção politica com o parlamentarismo burguês.
Ainda não perceberam que já não fazem parte deste mundo?

Anónimo disse...

Esta corja patética de guevaras suburbanos, gosta de cuspir grosso mas, na volta, andam ali mansinhos como cordeiros, (o meu filho diria, como mémés) senão o camarada Avante não os deixa ir à festa, de castigo.
Eu não sou da cor deles, claro está, mas gosto mesmo de vê-los a espalharem-se, sempre com as suas surdas ameaças revolucionárias, meio veladas, prontos a jurarem revolucionário qualquer gamante de capuz a saquear uma loja ou a queimar um chasso na rua, ou ainda a “não saberem” que era o próprio Kadhafi que se vangloriava de ter um exército de mercenários porque só em mercenários se podia confiar. Agora dizem que o povo líbio em armas são mercenários da NATO. Será que acreditam mesmo? Estou convencido que isto de ler o Avante é como rezar o terço à nossa senhora: de tanto repetir, a coisa cola!
Vou contar agora uma história verídica e, tão verídica, que até a podem verificar, já:
- Há dias, mais precisamente a 18 deste mês, decidi meter-me com esta camada de nhurros das revoluções, a ver quão firmes estavam nos seus 7 e tal por cento de cuspo grosso e falei-lhes com voz mais grossa ainda (no post “Poema”), dizendo umas “verdades” revolucionárias, falando no “nosso Partido” e opinando que “o partido” não veria com bons olhos que, post sim, post não, este blog publicasse poesia de Sophia de Mello Breyner, uma “inimiga”.
Então não é que estes lobos revolucionários de margem sul se acagaçaram e daí para a frente nunca mais a pobre da Sophia apareceu por aqui e passou a poesia a ser só de amigos com comprovação “edições avante”???
(qualquer dia faço um comentário e assino jerónimo a mandar publicar a “letra” do pai-nosso e ave Maria a ver o que estes grunhos fazem! Lolololololololol)

Fernando Samuel disse...

mário: é bem verdade.
Um abraço.

GR: são capitalistas - e está tudo dito.
Um beijo.

O Puma: Pfffff...
um abraço.

do Zambujal: não há desodorizante nem perfume que apaguem esse cheirete...
Um abraço.

Maria: o capitalismo é o crime - só pode cheirar ao que cheira...
Um beijo grande.

samuel: há gostos para tudo, às claras ou sob o anonimato...
Um abraço.

Anónimo 14:05: das fortunas milionárias, alcançadas à custa de exploração capitalista, só se pode esperar isto.
Obrigado pela visita e pelo comentário.
Um abraço.

Anónimo disse...

Anónimo das 15:33, ahahahah!!!
Grande javardo!
Bebe mais uma cerveja, pá.
Olha, agora, conta aquela do gajo, tás a ver, vestido à Guevara que se meteu com a tua filha, meu.
Vamos lá nisso!
Olha, bebe mais esta cerveja ou penalti, porque tu misturas tudo, whisky, coca-cola, cerveja, bagaço... depois contas essas histórias armado em engraçado... e que até cortaste a orelha ao comuna... lembras-te dessa?
E agora paga lá a conta e não bufes.

(A Chungaria desceu ao Cravo de Abril)

Chalana disse...

Sei quem ele é,
É O ZÉ MANEL, d' alcunha "russo", talvez...
Vivia na esperança de encontrar um amor,
Mas seu coração pedia mais, mais calor...

O PÁ... eSCONDE-TE NUM BURACO, oh chispe

Anónimo disse...

Chalana, velha glória; Mantorras, promessa não concretizada. Mas que raio tem o encarnado a ver com o vermelho? Estão a desiludir-me, amigos.
É mentira, não estão a desiludir-me porque sei que os vossos nomes estão a ser abusivamente usados por «comunas» sem vergonha. Uns fdp que mandam umas bocas ordinárias a quem não pertence à mesma seita. PARVALHÕES!!!

Miguel Botelho disse...

Vá lá... desta vez, o "Oh Parvalhão", cheio de insónias, (pois não consegue dormir, sem ligar ao «Cravo de Abril»), escreveu «parvalhões» (sem saber, é claro, se havia de usar primeiro o «oh» ou o «ó»...) Os calinos que não dormem bem, vivem mal e pensam pior.

Maria disse...

Anónimo de 26 de Agosto de 2011 03:48

Onde é que já se sentou à mesma mesa que eu para me tratar por tu? Conhece-me? Seja Homenzinho e dê a cara. Que o resto já conhecemos.