CARTAS DE COMUNISTAS (1)

FRANCINE FROMOND


Aderiu à Juventude Comunista Francesa em 1934 - tinha então 16 anos de idade.
Pertencia a uma família de comunistas.
No início da ocupação nazi, funcionou - tal como sua mãe - como agente de ligação da Resistência.
Foram presas, ambas, no dia 30 de Julho de 1943.
A mãe de Francine morreu na tortura.
A jovem, horrivelmente torturada, foi transferida para Fresnes e condenada à morte.
Foi fuzilada no dia 5 de Agosto de 1944.
Tinha 26 anos.

Horas antes de ser executada, escreveu à irmã - a única pessoa da família que escapara às garras nazis - a seguinte carta:



«Minha irmã muito amada


Chegou a hora de te dizer adeus.
Minha querida, é preciso ter muita coragem.
Quanto a mim, tenho a necessária, e os companheiros de prisão poderão confirmar-to.
Mas não é de mim que quero falar. Queria dizer-te que os meus últimos pensamentos serão para ti.
Tu és a única que resta da nossa família, e acho que que tens um grande dever: permanecer fiel aos nossos ideais, pelos quais o nosso querido Marcel e a nossa mamã bem-amada deram também a vida.
Dar a vida pela felicidade dos outros é magnífico. E é graças ao nosso Partido que eu vivo esta alegria.
Que o teu pequeno Claude a experimente quando tiver idade para o entender. É por ele e pelos da sua geração que eu morro.
Será assim, estou bem certa.
Que os meus camaradas pensem, não em mim, mas na dedicação que tinha ao nosso grande Partido, e que isso os encorage a resistir nos dias difíceis.
A ti, Madeleine, adeus.
Coragem e confiança.
Mil beijos.
Francine»


FRANCINE FROMOND


32 comentários:

trepadeira disse...

É esta coragem,lucidez e determinação que os facinoras nunca terão.
Um exemplo,entre tantos outros.

Um abraço,

mário

do Zambujal disse...

Comovente e... estimulante.
Obrigado, Fernando Samuel

Sérgio Ribeiro disse...

Em 5 de Agosto de 1944!
Quando se relizava, em Bretton Woods, a conferência para assinatura do acordo que criou o FMI, o BIRD e instituiu o dólar como a moeda internacional, para a economia do pós-guerra.
E os nazis ainda fuzilavam, em França, jovens de 26 anos,
e o aparelho industrial militar imperialista preparava-se para lançar, um ano depois, as bombas atómicas.
O que esta carta e data me despertou de comoção e indignação!

Grande abraço

Maria disse...

Fico sem palavras, mas a pensar.

Um beijo grande.

vovó disse...

fico como a Maria... e abraçar-te forte, por Tudo o que fizeste. por Tudo o que És e que Fazes.

beijocasssssss
vovómaria

samuel disse...

Esta é uma (mais uma) causa do desespero de muitos, que estão do outro lado desta História (alguns até aqui comentam)... e que se quisessem transcrever algumas das "cartas" dos seus "ídolos", teriam que escrever algo como:

"Querida irmã,
Hoje assassinei mais duas crianças juntamente com a sua mãe... enquanto o pai cavava a vala comum para as enterrar... ... ... ..."

Abraço.

joão l.henrique disse...

É com esta têmpera que se é comunista.


Um abraço.

Justine disse...

Pungente e fonte de força!

Anónimo disse...

Também em 1943 um filho de Stáline era fuzilado pelas tropas nazis, porque o pai (J. Staline) se negou entregá-lo em troca do General nazi Paulos. E quando Molotov questionou Stalin, dizendo que se tratava de um filho seu, Stalin respondeu: "Na frente do Exército Vermelho todos são meus filhos". Naquela altura estavam cem mil soldados soviéticos como prisioneiros do exécito alemão e todos tinham pai e mãe.

svasconcelos disse...

Emocionou-me ,esta carta.Muito! E está certa, a autora, ao lembrá-la ganha-se força e coragem para prosseguir na (nossa) travessia.
beijo,

GR disse...

Carta muito comovente e tão cheia de força. De grande reflexão o que o Anónimo (19:58) escreveu.
Por todos estes exemplos,cheios de coragem e verticalidade, o meu mais profundo respeito por todos os Resistentes.

BJS

GR

Anónimo disse...

Todos temos direito a saber as várias histórias de comunistas que foram assassinados pelo fascismo.

A propósito daqueles que se auto-intitulam defensores da democracia e da revolta húngara de 1956, poucos sabem que muitos comunistas foram vítimas dos fascistas húngaros, antes da entrada do exército soviético em Budapeste.

Os tais defensores da democracia e liberdade, não querem saber do modo cruel e bárbaro, como alguns comunistas húngaros apareceram mortos.

O mesmo poderei escrever, em relação ao líder do partido comunista alemão, Ernst Thälmann.

Jorge Manuel Gomes disse...

Extraordinário!!!

Estou sem palavras!

Anónimo disse...

este blog provoca, por aí, muita azia....

Maria Albertina disse...

No dia 5 de Agosto último li neste blogue:
“A acreditar nas notícias sobre a Líbia difundidas pelos média dominantes, o fim do «regime de Kadhafi» está por pouco...
Mas «está por pouco» desde Fevereiro/Março... o que significa que as coisas não são exactamente como esses média «informam», nem pouco mais ou menos.
Com efeito, os «avanços dos rebeldes», os «êxitos dos rebeldes» e outras façanhas dos rebeldes amplamente difundidas pelos média do grande capital, estão longe de corresponder à realidade... - uma realidade marcada, isso sim e essencialmente, pela resistência heróica do povo líbio face às toneladas de bombas que, lançadas pelos criminosos da NATO, às ordens de Obama, Sarkozi, Cameron, etc, têm vindo a espalhar a destruição e a morte no País”.
Agora leio no DN on line o seguinte:
“Cerca das 22:00 de Lisboa, os rebeldes líbios chegaram à Praça Verde e anunciaram a detenção de dois filhos do líder Kadhafi. A Praça Verde é um dos símbolos do regime líbio e desde o princípio da rebelião as cadeias de televisão sempre difundiram em directo do local o reagrupamento dos partidários de Kadhafi. O porta-voz do governo líbio, Moussa Ibrahim, anunciou hoje que pelo menos 1667 pessoas morreram nas últimas 24 horas em Tripoli, com o início da ofensiva dos rebeldes sobre a capital”.
E mais abaixo:
“Pouco depois através de uma mensagem áudio transmitida pela televisão estatal, em que afirma que "as massas eliminaram os ratos esta noite", referindo-se aos rebeldes, e em que apelava aos seus seguidores para que "marchassem aos milhões" a fim de recuperar as zonas tomadas pela oposição”.
Também ouvi na TSF que havia, em Tripoli, manifestações de regozijo da parte da população pela chegada dos rebeldes.
Todos sabemos que quer o DN quer a TSF estão ao serviço do «imperialismo internacional» e do «grande capital» e por isso omitem deliberadamente a “resistência heróica do povo líbio” ao avanço dos “criminosos da NATO, às ordens de Obama, Sarkozi, Cameron, etc, “
Resumindo: aqui está mais um sapo que os comunistas vão ter que engolir e, depois, disfarçar como já estão habituados.
Maria Albertina

Zé Canhão disse...

O que é que a Maria Albertina engole?

Maria Albertina disse...

Ao pequeno almoço um copo de leite magro com 3 ou 4 bolachas de água e sal, uma ou duas peças de fruta da época e um café expresso com meio pacote de açucar.
Logo conto mais.
P.S. Aquilo na Líbia está feio. Vocês, comunistas, vão ter um trabalhão para explicar às pessoas, não comunistas, porque raio a resistência heróica do povo líbio não funcionou, ou pior, ninguém deu por ela (para os camaradas não vale a pena grande esforço porque eles acreditam em tudo. Duas frases feitas e já está). Se calhar até estão a lutar heroicamente mas os media ocidentais, ao serviço do imperialismo internacional e dos grandes agrários, digo, e do grande capital, não contam. De manhã vou tirar tudo a limpo. Vou ler o Pravda on line e fico esclarecido.
E agora vou dormir porque de manhã tenho que me levantar antes do pequeno almoço.
Maria Albertina

Miguel disse...

Avante com a luta sempre! Esta força é indestrutível, a força da razão.

Anónimo disse...

A força da capitulação e da conciliação foram sempre forças muito fáceis de vencer pela burguesia que sabe mais a dormir do que vcs acordados.

Antuã disse...

A luta continuará porque já vem de longe com muitos sacrificados.

Maria Albertina disse...

Omo lava mais branco.
Coca-cola é que é.
A luta continua.
É com slogans publicitários deste género que vocês disfarçam o sapo que estão a engolir com os acontecimentos na Líbia. Quem é que vocês pretendem enganar? Vocês julgam que toda a gente é estúpida?

Maria Albertina disse...

Peço desculpa pelos meus anteriores comentários. Também eu fui manipulado pelos media ao serviço do imperialismo internacional e do grande capital. Como prometi fui ler o Pravda e fiquei esclarecido. Eis a verdade verdadeira:
"Fontes Pravda.Ru dentro da Líbia confirmaram que o povo de Tripoli está dançando de alegria nas ruas, comemorando uma grande vitória, porque a OTAN deixou sua campanha de bombardeio. Fontes na Líbia afirmam que as negociações estão em curso com a França e, entretanto, houve uma cessação das hostilidades.
O povo da Líbia têm todas as razões para celebrar esta situação, se se mantiver. As fontes utilizadas neste artigo são de confiança e baseiam-se dentro da Líbia; a informação foi passada para Pravda.Ru para nós sermos os primeiros a dar a notícia, pelo que agradeço muito sinceramente minhas fontes. (*)"
Gostei de saber de verdade verdadinha e também gostei da qualidade do português da notícia.

Anónimo disse...

Estamos reunidos a pensar na resposta a dar a este cabrão. Espera pela volta...

Anónimo disse...

Maria Albertina, acho que aquilo que "estupidamente" pede, tem explicação.
A capital de Tripoli tem sido bombardeada pela aviação da NATO, desde Março.
Os chamados "rebeldes" são, na sua maior parte, mercenários ao serviço do Sheik do Qatar.
A NATO forneceu armas a estes grupos, desde Fevereiro/Março (sofisticadas e de alta tecnologia).
Para mal dos seus remédios (seu PIDE vestido de mulher), ainda decorrem combates na cidade de Tripoli entre as forças leais a Kadahfi e os chamados "rebeldes".

E fique descansado que os comunistas não comem sapos nenhuns.

Informam-se e esclarecem-se.

Maria Albertina disse...

"ainda decorrem combates na cidade de Tripoli entre as forças leais a Kadahfi e os chamados "rebeldes"".
Vocês não têm cura! Nem a realidade vos convence!
«Até ao lavar dos cestos ainda é vindima», deve ser o vosso lema.
É evidente que engolem sapos.

Zé Canhão disse...

O que a Maria Albertina quer é um ferro incandescente pelo buraco acima.

Fernando Samuel disse...

mário: um exemplo entre milhares...
Um abraço.

do zambujal: um abraço forte.

Sérgio Ribeiro: a confirmar os verdadeiros sentido e conteúdo do FMI, BIRD & Cia...
Um abraço.

Maria: pensar é preciso...
Um beijo grande.

vovó: um beijo muito, muito amigo.

samuel: é essa a pequena diferença...
Um abraço.

joão l.henrique: e esta têmpera só a têm os comunistas.
Um abraço.

Justine: ... e de serenidade...
Um beijo.

Anónimo 19:58: é verdade - e se eu tivesse acesso a uma eventual carta escrita pelo filho de Stáline, publicá-la-ia aqui.

svasconcelos: e bem precisamos dessa força e dessa coragem, porque a travessia é difícil...
Um beijo.

GR: um beijo e até dia 2...

Anónimo 22:09: Nessa matéria, com em todas, esses «defensores da liberdade e da democracia» apenas estão interessados em desinformar das mil e uma maneiras que sabem.


Jorge Manuel Gomes: obrigado pela visita.
Um abraço.

Anónimo 00:54: ó se provoca!...

Miguel: e na luta que continua, até os mortos vêm a nosso lado.
Um abraço.

Antuã: e continuará até a vitória final.
Um abraço.

Anónimo disse...

Maria Alberina, para seu azar, os combates em Tripoli decorrem entre as forças leais a Kadahfi e os chamados "rebeldes".

Há pouco, a seguinte notícia foi publicada no "Russian Today": um conjunto de 22 veículos militares, cheios de soldados do governo de Kadahfi tinham chegado ao centro da cidade de Tripoli. Estes estariam a erguer barricadas cerca do hotel onde está hospedado o Dr. Franklin Lamb, director da Associação Americana para a Paz no Médio Oriente.

Este disse que temia que o governo estivesse a preparar uma emboscada contra os ditos rebeldes, que ainda festejavam na praça verde. No entanto, tal como o conjunto de música pimba "Maria Albertina", o Dr. Franklin acredita que o fim do conflito está próximo.

Maria Albertina disse...

Bem, se a fonte é o "Russian Today" é outra coisa. Este sim é um jornal imparcial muito diferente do "Pravda" (cuja tradução é «Verdade», vejam o desplante).
Aguardaremos então pelas próximas horas e logo veremos.
P,S. Não gosto dos argumentos dum tal Zé Canhão, acho-os um bocado primitivos.

Zé Canhão disse...

Acabaram-se os comentários ao verme nazi Maria Albertina.

Anónimo disse...

Maria Albertina
porque foste nessa
de chamar Vanessa
à tua menina?

Anónimo disse...

Maria Albertina, para "muito mal" dos seus pecados, o filho de Kadahfi, Saif al-Islam Gadhafi, não está nas mãos dos rebeldes e já prometeu lutar, ao lado do pai, em Tripoli e livrar-se do inimigo (que ele chama de "gangsters" e bem) nos pequenos locais onde se encontram.

A televisão já deu Tripoli como caída para os "gangsters" (amorosamente chamados de rebeldes pela comunicação social), mas os combates continuam.