POSITIVO, SAUDÁVEL E A SAUDAR

Gente nas ruas a protestar contra a política de direita, é sempre um acontecimento positivo, saudável e a saudar.
Milhares e milhares de pessoas manifestaram-se, ontem, em várias cidades do País.
Entre os muitos milhares de manifestantes, muitos havia que saíram à rua a dizer de sua justiça pela primeira vez.
Óptimo: que venham para ficar - e que da próxima vez tragam outros amigos com eles.
É isso que desejam, certamente, todos os que por cá andam há muitos anos, a lutar todos os dias, sem desânimos, contra todas as muitas precariedades geradas pela política de direita.

As manifestações de ontem confirmam o profundo e amplo descontentamento provocado pelas consequências de 35 anos de política de direita, praticada em harmoniosa convergência pelo PS, pelo PSD e pelo CDS/PP - consequências que atingem e deixam à «rasca» a imensa maioria dos portugueses de todas as idades.

Registe-se o facto de, pela primeira vez, os média dominantes terem sido activos propagandistas das manifestações.
Com efeito, nos últimos quinze dias, a generalidade desses média (jornais, rádios e televisões) dedicou à mobilização para as manifestações parte grande dos seus tempo e espaço - e ontem sucederam-se, durante horas, os longos directos; e hoje, os jornais dedicam páginas e páginas aos relatos do sucedido.
Muito bem: que continuem nessa postura é que se deseja.


Ontem, também, os professores - sem ajudas dos média dominantes - encheram a Praça do Campo Pequeno - numa luta que dura há muito, muito tempo, e que, garantiram eles, ontem, está para durar.

Entretanto, a CGTP-IN prepara - através de um esforço notável dos seus filiados - a manifestação nacional que, no próximo sábado, fará desaguar em Lisboa um mar de gente - também sem ajudas dos média dominantes, antes pelo contrário...

Mas tudo vai mudar: a partir de amanhã, os jornais, rádios e televisões passarão a dedicar-se à mobilização para dia 19 com o empenho de que já mostraram ser capazes.
Ou não?

28 comentários:

samuel disse...

Não.
Acertamos (quase) com o mesmo post... mas mesmo assim, logo à noite publicarei o meu. :-)

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

Não, tenho a certeza.
Porque a manifestação do dia 19 representa de facto luta e não sobressalto.
Mas é muito bom haver sobressalto, porque mais facilmente se compreenderá a luta.

Um beijo.

trepadeira disse...

Não vamos iludir-nos.
Em lutas mais sérias e consequentes não serão estes midia,salvo raríssimas excepções,a apoiar e divulgar.
Um abraço,
mário

Anónimo disse...

A palavra «luta» está a ser confundida.
Uma coisa é a luta propriamente dita. A outra, é a ilusão da luta.
Por exemplo, o Partido Comunista Português luta por uma sociedade melhor, neste país, há 90 anos.
A luta tem passado de geração em geração e, portanto, em muitos homens e mulheres essa palavra já é conhecida.
Outro exemplo, é os "Homens da Luta" e a música concorrente ao festival da canção.
Falam da «luta» como se fosse uma palavra nova.
Ontem, no Rossio, muitos a ouviram e festejaram, de copo de cerveja na mão.
Uma coisa é certa. Vamos para a luta no próximo dia 19, com a certeza que a palavra «luta» seja empregue de um modo claro e definido.

(Jorge)

Aristides disse...

Pois é! O que terá seduzido os media nesta manifestação? É uma das coisas a ponderar? Ou será que estão maravilhados com as potencialidades do facebook?
Grande abraço

Bolota disse...

Já agora por facebook, veio-me à ideia uma estapafúrdica questão: e se o culminar destes cigantescos movimentos de rua, fosse a vitoria de Passos Coelho com ” maioria absoluta” ???

Não dava a bota com a perdigota, pois não????

eduricardo disse...

É claro que os agentes da comunicação controlada pelo poder sabem de onde vem a contestação espectáculo (de consequências limitadas) e de onde vem a contestação com reais potencialidades de mudança.
12 foi um dia de protesto.
19 será um dia de protesto e de afirmação da resposta necessária.
No entanto, o fenómeno do passado sábado requer análise atenta para que nem desapareça, como água na areia, nem seja apropriado para levar água ao moinho dos interesses dominantes.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Perguntinha irónica, hem !
É claro que não !
Esta de ontem (ainda) não faz mossa, e como tal até vende bem na televisão e nos jornais.
Já a de dia 19, essa é organizada por quem sempre lhes meteu medo por falarem e defenderem a verdade, e como tal convém não fazer muitas ondas sobre o assunto, não se vá dar o caso de que boa parte dos que ontem se manifestaram contra o governo e contra todos os partidos, percebam que afinal há um partido que defende o mesmo que eles defendem, que reclama do mesmo que eles reclamam, que luta pelo que eles também lutam.
É já muito ténue a fronteira que separa estas duas manifestações. Desta vez separou-as uma "semana", pode ser que da próxima vez aconteçam no "mesmo dia".

Anónimo disse...

Pois é são muitos anos de luta (90).E depois ai estamos a ve-los diariamente a corrupeção a todos os niveis a vencer e a tomar conta do poder.O descontentamento é grande,mas muito maior do que 300mil.Há que refléctir em que falha o passar da mensagem pra que haja uma mobilização suficientemente forte que nos leve à vitória.Um abraço pra todos JMVC

Maria disse...

Não. É claro que não. Trata-se da Central Sindical que defende justamente os trabalhadores...
Mas nós lá estaremos, a engrossar as fileiras.

Um beijo grande.

Anónimo disse...

Fernando Samuel
Estive muito tempo a ver o que se passava e percebi. As ranhosas que foram destacadas para cobrir a manifestação pelas TVs´, cada vez que entravam não se cansavam de repetir que a manifestação era apartidária e contra todos os partidos mas, houve pelo menos uma ranhosa que foi entrevistar um "boneco" que era o «chefe» da juventude do PSD. O cálculo dos manifestantes nunca teve dúvida para as ranhosas. Foi sempre pelo maior número até chegarem aos 300 mil. Os cidadãos que se manifestaram possívelmente a esmagadora maioria fê-lo com boas intenções mas as ranhosas apareceram lá para denegrir. Não haja dúvidas sobre isso.
Percebe-se a cobertura das TVs. Para sábado veremos que o tratamento não é o mesmo e deverão perguntar-se porquê os manifestantes do dia 12.
Vitor sarilhos

joão l.henrique disse...

Cláro! Todos sabemos que não.
Dia 19 a organização é dos sindicatos e, esses, para os midia e seus donos são os que lhes batem o pé exigindo o cumprimento das leis laborais o que para eles é sempre uma grande chatice, logo há que fingir que não existem.
Mas estão tramados porque vamos lá estar todos memos que eles não queiram.
Um abraço.

Justine disse...

Vamos pensar que sim! Enfim, alguns..., se calhar não:((
Mas nós todos lá estaremos, a encher as ruas!

Anónimo disse...

Não sei se repararam num cartaz escrito em americano, no meio da gente, para depois aparecer um tipo, com a máscara da personagem "V" de Vendeta, com uma placa a dizer "Free Hugs" (Abraços de borla). De onde vieram estas figuras?
E o que dizer dos constantes apelos do Nuno Duarte ou "Jel" ou "Neto" para esta manifestação?
No entanto, tudo acabou ali no Rossio, com muito charro e muita cerveja. Isto para mim, não é luta.

salvoconduto disse...

Alguma vez estivemos à espera deles?

svasconcelos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
svasconcelos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
svasconcelos disse...

Não sei se será, mas isso não nos demove!
beijo,

A Chispa ! disse...

Só porque a manifestação não foi convocada por quem a deveria convocar,é caso para se estar contra a iniciativa, a desvalorizar e descredebilizar?

Não acha o (Fernando Samuel)que ao tentar reduzir e atribuir o êxito e a importância da manifestação de dia 12,ao poder mediático dos orgãos de comunicação burgueses,(quando o que se passou foi exactamente o contrário, pois todos eles manifestaram e continuam a manifestar preocupações quanto ao futuro destes protestos) que está a caluniar a justa luta de várias GERAÇÕES à RASCA presentes na manifestação?

Tem DÚVIDAS que mais de 90% dos presentes,que se manifestaram contra a ofensiva capitalista do governo, contra as suas politicas reaccionárias, que são pessoas e militantes de esquerda?

Qual é o seu MEDO (Fernando Samuel)?Será que receia que este movimento possa abrir uma nova época mais combativa da luta de classes em Portugal,que seja o fim anunciado da MODERAÇÃO e CONCILIAÇÃO que o seu partido, o BE,a CGTP E UGT têm imposto ao movimento,que seja um RASTILHO para outros países, onde os trabalhadores jovens e mais velhos têm os mesmos problemas sociais.?

Não acha que esta mobilização/manifestação foi uma resposta à falta de luta dos Organismos Sindicais e outros às politicas reaccionárias do governo?

Por fim, achamos que o seu texto,É RASCA e faz o jogo do governo, da classe capitalista e do capitalismo, que está contra várias GERAÇÕES ENRASCADAS vitimas dessa politica anti-social e reaccionária e que de novo, como aconteceu no 25 de Abril de 1974 estão a assumir o vosso papel de FURA GREVES e de GUARDA COSTAS da BURGUESIA.

Nota: para que possam responder às questões politcas, que este comentário levanta, desta vez não vos enviaremos abraços.

A Chispa!

Anónimo disse...

Lá tinha de vir "A Chispa!" para exagerar.

Aqui vão algumas perguntas para a tão badalada Chispa:

O grupo «geração à rasca» em Viseu fazia parte da JSD?

A JSD faz parte do movimento contra o sistema de dois partidos que governa Portugal há 36 anos?

Beber uma cerveja e fumar um charro é um modo de luta?

A música "A luta é alegria" é um modo de luta?

Fique lá com os abraços, Chispa e não se esqueça de aparecer na próxima manifestação do dia 19. Ou vai ficar em casa e depois dizer que aquilo que viu eram «fura greves» e «agentes da burguesia«?

Anónimo disse...

É um facto que a manif. do dia 12 teve uma aderência impressionante não apena da juventude mas também dos mais velhos que vivem em idênticas circunstâncias. A acrescentar a este facto, há ainda que reconhecer que ela esteve completamente fora do contrôle da Inter e do PCP, habituados que estão a ser só eles a mobilizar os actos de protesto público e a transformá-los em verdadeiros instrumentos dos seus interesses, com as mesmas palavras de ordem de sempre, conduzindo o "rebanho" para o abismo. Desta vez o povo descontente manifestou-se sem burocratas e aparatiques o que é positivo. Não obstante a sua falta de consistência ideológica que é de facto o seu ponto fraco e a sua condenação à derrota, terão que aprender com as omissões e as lacunas que saltam à vista de qualquer pessoa que sabe que o movimento não é tudo com julgava Bernestein e julgam ainda os basistas que proliferam nas lutas deste tipo.
De qualquer modo, o facto de pôr a Inter e o PCP de fora do seu contrôle já é, por si mesmo, um passo em frente.

Anónimo disse...

Deixem a chipa em paz, coitadinha. Já lhe basta o problema de identidade complicadinho que têm de não saberem se são um,se são alguns ou se são muitos, tadinhos.
Eu, pela minha parte,já estava a sentir falta dos textos hilariantes que produzem, servem para fazer rir e nem merecem resposta.
Pois, pois... já sei, a culpa é do meu QI ser muito pequenininho. Grande, grande é o da chispa, é quase do tamanho do repectivo ego de tão douta criatura (ou serão criaturas?).


Campaniça

Anónimo disse...

Depois deste desfile inédito em muitos aspectos, embora se reconheça as limitações da inexperiência e do vazio ideológico,no dia 19 lá veremos C. da Silva a cantar o fado da desgraçadinha em ré menor para ser, como sempre, igual a si próprio.

Anónimo disse...

Fernando Samuel
Espero que nenhum destes apartidários que por aqui proliferam não venham a substituir o Barroso na UE. É que eu lembro-me daquele vídeo onde a ave rara do Barroso também queria matar tudo e todos. Pelo que se viu e se sabe ajudou a matar os iraquianos e está-se agora a preparar para começar a matar os líbios.
Vitor sarilhos

Fernando Samuel disse...

samuel: pois não.
Um abraço.

Graciete Rietsch:exactamente.
Um beijo.

mário: claro.
Um abraço.

Jorge: exacto, vamos a isso.
Um abraço.

Aristides: alguma coisa os fascinou...
Um abraço.

Bolota: é bem provável...
Um abraço.

eduricardo: totalmente de acordo.
Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira: esperemos que sim, esperemos que sim...
Um abraço.

jmvc: há que lutar sempre: não há outro caminho.
Um abraço.

Maria: muitos e muitos lá estarão, certamente - e não me surpreenderia que essa fosse a maior acção de massas depois da greve geral de 24 de Novembro.
Um beijo grande.

Vitor Sarilhos: essas «ranhosas» são mesmo... ranhosas.
Um abraço.

joão l.henrique: e eles vão ficar fulos por verem que somos tantos...
Um abraço.

Justine: as ruas cheias de gente em luta...
Um beijo.

Anónimo: luta, é...
Um abraço.

salvoconduto: só se fôssemos... ingénuos...
Um abraço.

svasconcelos: obviamente.
Um beijo.

Vitor Sarilhos: de gente dessa tudo é possível.
Um abraço.

Anónimo disse...

Anónimo das 13:52.

Lá que a manif teve "aderência", isso teve!
As ruas chegaram a ter inclinações de 45º e a manif nunca escorregou. :-)))
Ah... e também teve a adesão de imensa GENTE.

Anónimo disse...

A "Chispa"... ou o "Chispa", como é bem mais provável, bem que poderia aparecer numa destas manifestações da CGTP, ou do PC... e chamar ao pessoal, assim bem de frente, "FURA GREVES e GUARDA COSTAS da BURGUESIA", como chama aqui tão "corajosamente".
Teria direito a uma remodelação do focinho... gratuita. Pense nisso...

Anónimo disse...

enquanto não voarem paralelos qq manif não tem piada.enquanto não houver corpo de intervenção a carregar isto não tem piada. enquanto ficar tudo na pacatez das palavras, "a luta" é termo vazio de conteudo.Já sei... era tudo confundido com arruaçeiros... Claro que é preciso arruaçeiros!!! Que porra!!! estão a lidar com maltrapilhos! acordem!!! um recado para ambos: não há revolução que nos valha sem porrada organizada.
um gajo cuja esquerda é tão boa como a direita.