DUAS NOTÍCIAS


1 - A cidade de Bengasi - «capital dos rebeldes» - está prestes a cair nas mãos das tropas de Kadhafi.
É, ao que parece, uma questão de dias, ou até de horas.

2 - O Governo dos EUA, através da secretária de Estado, Hillary Clinton, fez saber que «o tempo está contra nós e é urgente agir», acrescentando esperar que hoje, quinta-feira, «a ONU aprove uma resolução» que dê luz verde a uma intervenção militar. Isto porque «Kadhafi parece determinado a matar tantos líbios quanto possível», diz a Clinton - e se ela o diz...


É óbvia a ligação entre as duas notícias: a urgência da intervenção militar decorre do facto de os rebeldes estarem prestes a ser derrotados...
E é óbvio que a intervenção militar, se vier a concretizar-se, constituirá uma invasão, um acto de guerra contra um povo e um país soberanos.

Isto digo eu, porque para a «comunidade internacional» - que é uma senhora cuja opinião, tal como a dos média dominantes, coincide sempre com a opinião dos governos dos EUA... - tratar-se-á de uma acção libertadora dos EUA - mais uma daquelas acções libertadoras que permitem ao imperialismo norte-americano libertar um país ocupando-o, instalando-se nele e explorando-o até ao tutano. Em nome da democracia, da liberdade e dos direitos humanos...


Desta vez, no entanto, pode acontecer que os EUA não consigam que a ONU aprove a tal resolução - e que os deixe perante a alternativa de terem que avançar sozinhos para a libertação da Líbia ou de terem que desistir da acção libertadora...
Aguardemos.

11 comentários:

Justine disse...

Mais um acto criminoso que se aproxima? Mais uma vez com a cumplicidade dos governos deste mundo?
Que mundo é este?

samuel disse...

Os falcões já estendem as asas, as hienas já salivam...

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

Mais um exemplo de como os EUA libertam da opressão os Povos que eles pretendem oprimir.

Um beijo.

Anónimo disse...

De repente, as notícias sobre a Líbia deixaram de ser importantes.
Os EUA ainda tentam a guerra, porque essa é a sua razão financeira e ideológica.
Soube hoje que o BE, no parlamento europeu, votou a favor da intervenção da NATO na Líbia, junto com a direita europeia. O que dizer destas pequenas traições verificadas entre elementos que se afirmam de esquerda, contra a guerra e pela paz?

(Jorge)

svasconcelos disse...

E as histórias da defesa humanitária deste império sucedem-se, sucedem-se... acharão mesmo que (ainda) nos enganam com argumentos tão falaciosos?!espremos que os seus intentos não vinguem, desta vez...

Um beijo,

dora disse...

Depois da decisão já tomada, agora é que a verdadeira guerra vai começar!!! parabéns aos respnsáveis!

dora disse...

quinta-feira, 17 de Março de 2011 | 22:39

Líbia: ONU estabelece exclusão aérea e autoriza recurso à força

O Conselho de Segurança da ONU estabeleceu hoje uma zona de exclusão aérea na Líbia, autorizando «todas as medidas necessárias» para a proteção de civis e áreas civis povoadas sob ameaça, referindo explicitamente a cidade de Bengazi.

A resolução foi aprovada com 10 votos a favor, incluindo Portugal, cinco abstenções e nenhum voto contra.

Maria disse...

Como é possível, ainda, alguém achar que foi justa a atribuição do Nobel da Paz a Obama?
O homem é um assassino!!!

Um beijo grande.

salvoconduto disse...

Chego tarde a este post, já foi anunciada a aprovação. Espero que um dia países que a deixaram passar não venham queixar-se quando eles também forem vítimas do império...

Antuã disse...

Está provado que o Prémio Ignobel da Paz é uma farsa.

Anónimo disse...

Resta dizer que a mesma moção foi votada a favor por todos os deputados portugueses do Parlamento Europeu(bloquistas incluidos), com excepção dos dois deputados do PCP. É caso para ter vergonha das três marionetas da «nova esquerda» que temos no PE.