UMA EQUIPA PREDESTINADA

O cardeal Tarcisio Bertone - primeiro-ministro do Vaticano, «braço direito de Bento XVI», «número 2 do Vaticano» - é, actualmente, uma das figuras maiores da Igreja Católica.
Já aqui vos falei dele - quando o cardeal, comentando as notícias sobre as vagas de casos de padres e bispos pedófilos, veio dizer que se tratava de «uma campanha visando minar a confiança na Igreja», ao mesmo tempo que garantia ter provas científicas de que «há uma relação entre a homossexualidade e a pedofilia»...

Hoje, o cardeal Bertone volta a ser notícia.
Ei-la: certamente por vontade de Deus, o cardeal é um entusiástico adepto do futebol, a ponto de um dos seus sonhos ser, desde há muito, a constituição de uma equipa de futebol do Vaticano.
Ora, o sonho do cardeal foi agora concretizado: a selecção de futebol do Vaticano é uma realidade.
Ela aí está, acabadinha de formar e - com os jogadores alinhando de«amarelo e branco, as cores oficiais do Vaticano» - a iniciar a preparação rumo às grandes competições futebolísticas urbi et orbi.
Essa preparação passa por uma série de jogos «particulares», ou «amigáveis», que darão à equipa do cardeal o indispensável «calo» e a necessária experiência para se lançar à conquista... quiçá da próxima Taça do Mundo...

E é aqui que a notícia é... NOTíCIA: o primeiro jogo «amigável» da «selecção de futebol do Vaticano» vai ser com uma equipa que dá pelo nome de «Guarda di Finanza», nome que seria algo bizarro para uma equipa de futebol, não fosse ela aquilo que é: a equipa da polícia financeira italiana - precisamente a polícia que está a investigar o Banco do Vaticano por suspeita de lavagem de dinheiro...

Não há dúvida: o cardeal Bertone não dorme em serviço - e a sua equipa de futebol está predestinada a grandes êxitos... em todos os campos...

11 comentários:

Justine disse...

Nojentos, ignóbeis, estes senhores do mundo, seja em que modalidade for...

samuel disse...

Ainda nem começaram a jogar e para mim já é penalty, cartão vermelho e expulsão.

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

Inacreditável!!!!!!!!!

Um beijo.

joão l.henrique disse...

Nessa equipa a que posição joga o Papa!??
Se calhar esta ideia do futebol até é bom, enquanto estão ocupados com esta actividade, não andam a "pregar" baboseiras.

Um abraço.

do zambujal disse...

... e o árbitro, e o árbitro?
... e haverá escutas a esses filhos da... isso?

Um abraço

trepadeira disse...

Até que enfim se declaram no seu meio natural.Aos árbitros também vão oferecer os santinhos do senhor abade?
Grande jogo de calhordas.
Um abraço,
mário

Manuel Rodrigues disse...

Nem Maquiavel chegaria aos calcanhares destes senhores. Pensam em tudo para poder continuar a lavar mais branco... Muito melhor do que o OMO.

Maria disse...

É tudo da mesma família!

Um beijo grande.

Anjos disse...

Vejamos por outro prisma: a prática de desporto não faz bem à mente? Não pode ser recomendada como terapia?

Além disso,é tudo entre "amigos" e a "Guarda di Finanza" pode levar pontapés à vontade que não faz mal...são "santos" e pode ser que fique mais espevitada.

Anónimo disse...

UFF! que nunca se equipem de vermelho!

Equipa de Futebol, para mim só o BENFICA.


Ordinários, mas lá vão enganando uns e outros!
Abraços

Lagartinha de Alhos Vedros

Fernando Samuel disse...

Justine: é verdade: nojentes sempre e em tudo.
Um beijo.

samuel: isso era se fosses o árbitro...
Um abraço.

Graciete Rietsch: não, não: acreditável!...
Um beijo.

joão l.henrique: o Papa não joga: arbitra...
Um abraço.

do zambujal: há escutas mas só para depois não servirem como prova...
Um abraço

mário: é a grande jogatana...
Um abraço.

Manuel Rodrigues: com lavandariss destas... a sujidade vive cada vez mais feliz...
Um abraço.

Maria: famiglia...
Um beijo grande.

Anjos: aí está uma outra maneira de ver a (mesma) coisa...
Um abraço.

Lagartinha de Alhos Vedros: sejas muito, muito bem vinda!!!
(para mim, também, só o Glorioso!)
Um beijo.