O ABOMINÁVEL HOMEM DAS NEVES

«Perseguição religiosa»: é assim que João César das Neves, reaccionarão e beato - também conhecido por Abominável Homem das Neves - na sua homilia semanal no DN, classifica as notícias sobre a suspeita de branqueamento de dinheiro por parte do Banco do Vaticano e sobre os casos dos padres e bispos pedófilos.

Procedendo a um resumo da história das «perseguições religiosas» de que, diz ele, a Igreja tem sido vítima, Neves esclarece que tudo começou no século XIX com a «acusação de violência», ou seja: com «o mito da Igreja sangrenta da Inquisição e das Cruzadas».
Ora, Neves considera «ridículo (...) atacar pessoas pacíficas e serenas por histórias de séculos antigos», tanto mais que, esclarece, «os católicos actuais não pretendem tribunais ou invasões» - além de que, observa, a Inquisição e as Cruzadas não foram exactamente como se diz...
É certo e sabido que, um dia destes, o Abominável virá demonstrar-nos que os autos de fé não passavam de festivas fogueiras de S. João e que os cruzados eram grupos excursionistas que percorriam o mundo em busca de novas paisagens.

Mais tarde, a «perseguição religiosa» centrou-se naquilo a que Neves chama «o triplo cânone da injúria»: «dinheiro, sexo e poder» - coisa esta «irónica» na pia visão do Abominável, já que «a Igreja sempre foi a principal promotora da virtude» tanto em matéria de dinheiro, como de sexo, como de poder... E para quem duvide, Neves ensina que «a perfeição evangélica baseia-se nos votos de pobreza, castidade e obediência»...
É certo e sabido que, um dia destes, a fértil imaginação do Abominável virá mostrar-nos exemplos muitos da forma como os príncipes da Igreja cumprem à risca «a perfeição evangélica»...

Mas, pergunta Neves, «não serão graves e reais as acusações, como no caso dos padres pedófilos?» - e responde que a polícia e os tribunais é que decidirão... e que tudo isso se passou há muito, muito tempo, nalguns casos há tanto tempo que «a morte ou a prescrição tornam já impossível fazer justiça»... e só por «perseguição religiosa» é que se volta agora a falar nisso...
É certo e sabido que, um dia destes, o Abominável virá dizer-nos: «eu não vos disse?: todos os casos de pedofilia foram arquivados por prescrição»...

Finalmente, Neves explica a razão pela qual os «inimigos» lançaram agora esta «perseguição»: «o sucesso do pontificado de Bento XVI» - um «sucesso» tão, tão, tão grande - diz Neves - que os «inimigos», para o diminuir, tiveram que recorrer ao «cânone da injúria»...
É certo e sabido que, um dia destes, o Abominável virá demonstrar-nos que o pastor alemão é a única raça pura do planeta...

12 comentários:

samuel disse...

Ora deixa-me cá fazer um bocadinho de perseguição: O César das Neves é um imbecilóide!

Abraço.

JN disse...

O abominável devia de ter terminado esta sua santa prosa com um amem. Este DN com os escribas que tem parece já o Diario da Manhã do tempo do fascismo.
abração

trepadeira disse...

Quanto é que o dono do dn deu para alguma obra canónica para que lhe tenham mandado um escriva deste calibre?
Um abraço,
mário

Membro do Povo disse...

O Vaticano possui uma policia secreta, um exercito e se não estou em erro uma moeda própria. Algo digno de alguém que apenas pretende a "perfeição" evangélica.

Graciete Rietsch disse...

E os escândalos bancários e a pedofilia e até a sacrossanta castidade serão virtudes ou mentiras?

Um beijo.

Antuã disse...

Se a hipocrisia e o cinismo matassem o Neves já há muito tempo que estava a fazer tijolo.

GR disse...

Sabia que o dito é um energúmeno, mas beato fanático?
Os fascistas estão a mostrarem-se!

Bjs,

GR

Manuel Rodrigues disse...

O César das Neves é muito pior que os Césares dos romanos. Com que então, os crimes do passado deixam de ser crimes porque sobre eles vai caindo o "sagrado" manto do tempo (à mistura com as cinzas das fogueiras da Inquisição)?... Então, as cruzadas deixaram de ser sanguinolentas orgias de destruição e de saque, lá porque se destinavam - dizia a Igreja, na época (e ainda diz, não diz?...) - a libertar os lugares santos?... então e a pedofilia está desculpada, lá porque contou (e, pelos vistos ainda conta...pelo menos, até cair em prescrição) com o silência cúmplice da hierarquia?...então e o branqueamento do dinheiro pelo Banco do Vaticano é apenas uma singela operação de marketing e competição com o Omo para ver qual dos dois lava mais branco?... Oh senhor César das Neves, então não conhece aquele episódio dos Evangelhos em que Jesus corre os vendilhões do templo à chicotada?... Ou, para si, este episódio também já caiu em prescrição?...

Anjos disse...

O HOMEM constrói... e o homem destrói!

Conhecer os tais episódios dos Evangelhos, até acredito que sim, mas descodificá-los e aplicar os seus ensinamentos... é que, pelo que se tem visto, poucos o fazem.

Os vendilhões continuam... mas não à porta agora já dentro do temlpo.

Pintassilgo disse...

O João Neves crucifica Jesus todos os dias.

joão l.henrique disse...

Para o César das Neves o Mundo gira ao contrário. «Lavar ourelhas a burros é gastadeiro de sabão» Diz-se na minha terra, e em relação a este César não há nada a fazer. É burro de orelhas sujas todos os dias.

Um abraço.

Fernando Samuel disse...

samuel: e é que é mesmo.
Um abraço.

JN: não, não; parece é o DN do tempo do Diário da Manhã...
Abração.

Mário: é um escriba bem à altura dos restantes escribas do DN.
Um abraço.

Membro do Povo: a «perfeição evangélica» dá para tudo...
Um abraço.

Graciete Rietsch: virtudes, virtudes das mais elevadas... tão elevadas que se perdem de vista...
Um beijo.

Antuã: neste caso, estou em crer que a hipocrisia e o cinismo dão dinheiro...
Um abraço.

GR: cada um é o que é, não é verdade?...
Um beijo.

Manuel Rodrigues: os padres pedófilos e a lavandaria do Vaticano são as fogueiras e as cruzadas dos tempos modernos...
Um abraço.

Anjos; dentro do templo, à porta do templo, nos jornais do templo...
Um abraço.

Pintassilgo: é a tarefa dele...
Um abraço.

joão l.henrique: o homem é de fixações, sabes...
Um abraço.