POEMA

A HISTÓRIA DA MORAL


Você tem-me cavalgado,
seu safado!
Você tem-me cavalgado,
mas nem por isso me pôs
a pensar como você.

Que uma coisa pensa o cavalo;
outra quem está a montá-lo.


Alexandre O'Neill

4 comentários:

smvasconcelos disse...

Viva a verticalidade e a força das convicções!
Um beijo,

samuel disse...

E essa é uma diferença que não se deve esquecer.

Abraço.

Maria disse...

Que grande poema! Há tempo que não o lia.

Um beijo grande.

Graciete Rietsch disse...

Directo. Nem mais palavras eram precisas.

Um beijo.