POEMA

PERFILADOS DE MEDO


Perfilados de medo, agradecemos
o medo que nos salva da loucura.
Decisão e coragem valem menos
e a vida sem viver é mais segura.

Aventureiros já sem aventura,
perfilados de medo combatemos
irónicos fantasmas à procura
do que não fomos, do que não seremos.

Perfilados de medo, sem mais voz,
o coração nos dentes oprimido,
os loucos, os fantasmas somos nós.

Rebanho pelo medo perseguido,
já vivemos tão juntos e tão sós
que da vida perdemos o sentido...


Alexandre O'Neill

6 comentários:

Maria disse...

Um belo poema de O'Neill, mas os tempos agora são outros! São e serão tempos sem medo!

Um beijo grande.

Mário disse...

Não sei se há uns meses ou há uns anos, fiz um vídeo utilizando este poema, musicado, pelo Aguardela, que já deixou de criar, ficas convidado a visioná-lo, a 2ª edição, são só 8 minutos.

http://www.youtube.com/watch?v=L2HfLREoPKI

Abraço!

smvasconcelos disse...

Que o medo não nos definhe, que não se sobreponha à urgência cada vez mais imperiosa de lutar!Mesmo que isso nos aprente mais "mais seguro"...
beijo

samuel disse...

Ouvia isto em casa do Zeca, num disco "importado"... e ficava com os pelos eriçados...
Bela memória, belo poema!

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

Mas o medo ainda vai exercendo o se efeito,infelizmete.

Um beijo.

Fernando Samuel disse...

Maria: olha que não sei...
Um beijo grande.

Mário: lá irei (logo que tenha som).
Um abraço.

smvasconcelos: lutar, hoje, exige muita coragem...
Um beijo.

samuel: nos tempos em que o medo era outro...
Um abraço.

Graciete Rietsch: e de que maneira!
Um beijo.