QUANDO OS PASTORES FALAM...

«Quando os direitos fundamentais da pessoa humana ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matéria política»: palavras do Papa, Bento XVI, dirigidas aos bispos do Maranhão, a uns dias das eleições presidenciais no Brasil.
E, no caso concreto, que «juízo moral» é esse que «os pastores têm o grave dever de emitir»?: apelar ao voto em José Serra, obviamente...

Os efeitos das palavras de SS não se fizeram esperar.
Um exemplo: o padre Francisco Gonçalves que, há uma semana, do púlpito, repreendera o candidato José Serra que fora comungar, dizendo: «não quero políticos tumultuando a missa», ontem mudou de discurso, dizendo na homilia: «tivemos um bom presidente (Lula) mas isso não significa que ele nos aponte um bom substituto (Dilma)»...
E assim, ou pior, terá acontecido em todas as missas eleitorais realizadas desde que o Pastor falou.
Logo à noite veremos se Bento XVI foi, ou não, o vencedor das eleições brasileiras...


Esta directiva do representante máximo da Igreja Católica não surpreende.
Como é sabido, a Igreja teve sempre uma intensa e activa intervenção «em matéria política» - uma intervenção sempre em defesa dos opressores e dos exploradores e sempre contra os trabalhadores e os povos.
E os papas, com raríssimas excepções (e todas as excepções morreram cedo...), sempre mantiveram um estreito e amistoso relacionamento com os tiranos, abençoando-os e elegendo-os destinatários da palavra de Deus...

Um exemplo, este dizendo respeito a Portugal:

Quando da eleição do Papa Pio XII, o cardeal Cerejeira escreveu a Salazar uma carta onde, a dada altura, dizia:

«Tenho pressa em comunicar-te a missão que para ti me deu o novo Papa, ao acabar de ser eleito (...) Estava, como podes imaginar, trémulo de emoção. E virando-se para mim, abraçou-me e disse: "Diga a Salazar que o abençoo neste momento. Que ele, que tanto tem trabalhado e feito pelo seu País, possa levar a cabo a sua obra. Que Deus o defenda e proteja».

Quando os Pastores falam, falam assim...


10 comentários:

Anónimo disse...

É verdade. E na América Latina a teologia da libertação já não tem grande força.....longe vão os dias do Romero em Salvador que se colocou ao lado do povo e pagou o preço sendo barbaramente assassinado dento da própria igreja durante a missa...

samuel disse...

Falam assim... e já nem se dão ao trabalho de esconder os grandes dentes afiados...

Abraço.

joão l.henrique disse...

Quando os pastores falam há sempre no rebanho - para bem da humanidade - quem não lhe passe cartão.

Um abraço.

Maria disse...

Já te disse que não gosto de gajos vestidos assim com saias? E não é preconceito, é... alergia!
Estou preparada para festejar a derrota de Serra. Oxalá o possa fazer.

Um beijo grande.

smvasconcelos disse...

Se há matéria que me revolve e enoja ao limite é esta... ao ponto de não me restar quase nenhuma condescendência ou tolerância com esta seita.E mais não digo, que fico logo alterada com este nojo...
Um beijo

Graciete Rietsch disse...

Onde estarão hoje os padres oprários que trabalhavam com o Povo e para o Povo? Gostava de saber.
Quanto a papas, cardeais, bispos e acólitos sempre têm estado do lado do grande capital e do imperialismo.
Devemos respeitar as religiões, mesmo que sejamos ateus, mas não podemos dar o nosso apoio ao comportamento ignóbil da maioria dos ministros de Deus, que em meu entender, foi criado pelo homem.

Um beijo.

eduricardo disse...

E agora o pastor chorará a sua derrota.
É pena que, como diz a canção, «carneiros é o que mais há
uns de finos modos
outros vis por desprazer...
Mas carneiros todos
com carne de obedecer.»

salvoconduto disse...

Pelos vistos não resultou, Dilma acaba de ser eleita...

Anónimo disse...

Depois de um domingo magnífico uma segunda-feira com uma boa notícia. Que se venha a cumprir no futuro!

A Sofia estava feliz e eu emocionada com o Mounty.

Beijinhos
Campaniça

Manuel Rodrigues disse...

A religião merece-me imenso respeito, mas quando um papa usa as vestes religiosas para veicular uma mensagem política em atitude ofensiva aos milhões de religiosos que se batem por mais justiça social, então esse papa mostra a sua verdadeira natureza e o verdadeiro deus que serve: o deus-capital