POEMA

TENTAÇÃO VENCIDA


Venham deuses e polícias,
diabos, magos, banqueiros,
ofertar-me, alvissareiros,
o mando e as sua delícias.
Tratem-me com vis blandícias
ou com modos sobranceiros,
ou cheguem aos derradeiros
tratos das piores sevícias.
Venham anjos em milícias,
da ilusão mensageiros.
Não me venceis, embusteiros,
com cruzes nem com malícias.


Armindo Rodrigues

6 comentários:

samuel disse...

Pois... mas vai ser uma tarefa de gigante conseguir desmontar, pelo menos em parte, esta encenação destes pulhas...

GR disse...

Magnífico!
Como gostaria de enviar este grande poema, a um maneirinho muito teatral.

Samuel,
Desta vez vamos conseguir.
Os "efeitos especiais" foram muito básicos.

GR

Maria disse...

Mais uma vez certeiro, este Poeta!
Temos de estar muito atentos a tudo, porque o desespero leva a qualquer provocação montada... e já sabemos como é...

Um beijo grande

Ludo Rex disse...

Nem com malícias...
Abraço

Ana Camarra disse...

Já começamos a estar vacinados....

Fernando Samuel disse...

samuel: tarefa difícil, mas a que temos que deitar mãos.
Um abraço.

GR: só que ele é impermeável...
Um beijo.

Maria: e é bem provável que outras surjam.
Um beijo grande.

Ludo Rex: de maneira nenhuma...
Um abraço

Ana Camarra: deveríamos estar...
Um beijo.