PARA QUE NUNCA MAIS SEJA TARDE

«Vi lá vários dirigentes partidários» - disse Sócrates, comentando imagens da manifestação dos professores.
E fê-lo ostentando aquele seu peculiar jeito ameaçador, de polícia político à espera da oportunidade para passar à acção...

Há umas semanas atrás, Sócrates viu vários dirigentes dos sindicatos dos professores na lista da CDU e produziu igual reparo censório, igualmente carregado de ameaças...

Os média dominantes dão notícia destas visões de Sócrates, sem comentários.
E os comentadores com lugar cativo nos média dominantes, também não comentam.
Para uns e para outros, se o alvo do ataque é o PCP, está tudo bem e... toma lá que é democrático...
E assim continuarão a fazer se, um dia destes, Sócrates, abusando da maioria absoluta de que dispõe, passar das ameaças aos actos, por exemplo: proibindo os dirigentes partidários de serem sindicalistas e proibindo os sindicalistas de serem candidatos eleitorais (da CDU, obviamente) - e condenando-os se não obedecerem.

É assim a democracia deles: longe, tão cada vez mais longe!, da democracia de Abril - e tão cada vez mais perto da «democracia orgânica» do antigamente...

E é também isto que está em jogo nas eleições do próximo domingo.
Parafraseando um célebre poema:
Primeiro, levaram os comunistas; mas eu não era comunista e não me importei.
Depois, levaram os sindicalistas; mas eu não era sindicalista e não me importei...
Agora, é tarde...

Pois: é bom que se importem - que nos importemos todos - antes que seja tarde.
E as eleições de 7 de Junho constituem uma excelente oportunidade para que, com o voto na CDU - e com Abril de novo - nunca mais seja tarde.

10 comentários:

Maria disse...

... pois quando o povo acorda é sempre c edo!

Um beijo grande

samuel disse...

De facto... o melhor é não facilitar.

Abraço.

Aristides disse...

Nojo, muito nojo é o que sinto ao ouvir estes inclassificáveis "políticos".
Estive (mais uma vez) nas avenidas de Lisboa em protesto. Sócrates viu dirigentes partidários: eu não vi Vital nem Vitor Ramalho. Porquê? Para não instrumentalizarem a luta dos professores?
Por favor! Nós não somos tão burros como Sócrates acredita.
Abraço camarada

alex campos disse...

O PS intrumentaliza outras coisas, a RTP por exemplo.
E até tem uma "central sindical" dirigida por um elemento da sua comissão nacional. Por exemplo sabe-se que há várias tendências na CGTP, mas na "central" xuxa só há uma.Deve ser isso a democracia orgânica.

Abraço

Ana Camarra disse...

Foram muitos, o sr Socas, tem problemas em que a oposição conteste o Governo, têm problemas em que os Sindicalistas tenham intervenção politica e partidária, aborrece-se quando a comunicação social (e é raro)dá conta de alguma noticia incomoda, fica danado com manifestações de contestação á sua politica.
Ó Fernando Samuel, tu és mais crescido que eu, não e verdade que já houve uma altura em que isto andava certinho e direitinho e quando alguem fazia alguma dessas coisas levava um correctivo?
Mas sinda assim acho que havia quem não fizesse a vontade ao Sr. Grande Português...

Teimosos!

beijos

Crixus disse...

É fundamental impedir a maioria absoluta do PS nas legislativas, porque nesse caso o seu odio vingativo iria virar se sem duvida contra os sindicatos e sindicalistas. A gente cá estará para a luta...
Abraço

do Zambujal disse...

G'ande malha. Este texto está o que e como é preciso dizer.
Há que o divulgar!
Um abraço

Membro do Povo disse...

Ei Crixos não temo qual quer acto que possa ser tomado em tom de vingança! Já deixamos uma coisa bem clara este ano: não tememos o governo e estamos dispostos a lutar pelos nossos direitos contra os interesses da burguesia! Se estas políticas continuam eles que esperem algo mais que protestos... Mas tens razão há que parar mais uma possível maioria absoluta!

alex campos disse...

Crixus
Vamos ter tempos duros, porque o "ps" se sozinho não tiver maioria absoluta, e penso que não, há-de arranjá-la ou com o cds ou com o bloco, com o que estiver mais à mão.

Fernando Samuel disse...

Maria: é preciso estarmos todos acordados...
Um beijo grande.

samuel: não se perde nada em precaver-mo-nos...

Aristides: o Vital e o Ramalho só estão vocacionados para provocações como a do 1º de Maio.
Um abraço, camarada.

alex campos: na ugt há a tendência da política de direita ao serviço do grande capital...
Um abraço.

Ana Camarra: apesar dos «correctivos« a luta continuava - e isso era o que mais medo lhes metia...
Um beijo.

crixus: contra as estruturas de classe dos trabalhadores: sindicatos e PCP...
Um abraço.

do zambujal: abraço grande!

Membro do Povo: mostrámos a força que temos e mostrámos estar dispostos a lutar.
Um abraço.

alex campos: com o que mais lhe convier, porque os dois estão disponíveis...
Um abraço.