O COZINHADO

Como era previsível, as primeiras páginas dos jornais de hoje são dedicadas à propaganda eleitoral do PS. Aparentemente, não se trata de publicidade com sinal de pago... mas é claro que é disso que se trata: paga o grande capital, proprietário desses jornais.

Há que reconhecer que o cozinhado foi preparado com todos os matadores.
Depois das «entradas» de ontem, em que a «vítima Vital» fez o seu número, cumprindo o que lhe era exigido (é certo que sem o brilhantismo de Soares, mas também não se lhe pedia o impossível...), os média serviram o primeiro prato.
Pelo Diário de Notícias ficamos a saber que «manifestantes da CGTP expulsam Vital do 1º de Maio»; e que «Sectarismo irrompe no 1º de Maio»; e que «resta saber se os portugueses que este ano são chamados a votar por três vezes terão em linha de conta as agressões e os insultos a Vital Moreira» - ora cá está o que eles queriam: votos!.
Cá está a explicação para o facto de o candidato Vital Moreira - que não é militante do PS - ter integrado a delegação que, em representação daquele partido, foi «cumprimentar o secretário-geral da CGTP». Sabendo todos - o candidato, o partido que o propõe e os jornais do grande capital - que era bem provável que, por razões óbvias, acontecesse o que aconteceu.
Quanto à comemoração do 1º de Maio, o DN só não a ignora totalmente porque para falar de Vital Moreira tinha que a referir. Em contrapartida, farta-se de falar da «manifestação» de «pouco mais de meia centena de anarquistas», dos «mayDay» e etc.

Pelo Público ficamos a saber que «Intolerância estragou o desfile» - e um tal Paulo Moura produz uma «reportagem» de grau zero (abaixo de zero, se faz favor!), na qual informa, em título, que «Vital Moreira foi insultado e as palavras de ordem acabaram esquecidas» - após o que, embalado, dedica duas páginas ao 1º de Maio, isto é a agredir e a insultar os trabalhadores que participaram na gigantesca manifestação.

Depois, à sobremesa, vieram as «reacções»: em primeiro lugar o inevitável Vitalino que, em conferência de imprensa (que poderia ter sido marcada na antevéspera...), «acusou os comunistas e a Intersindical de serem co-responsáveis pelo incidente» e (em discurso que poderia ter sido preparado na véspera...) exigiu que a CGTP e o PCP pedissem desculpas formais ao PS e a Vital Moreira - repetindo tudo o que antecessores seus disseram quando de provocações semelhantes organizadas pelo PS.

Ainda em matéria de «reacções» houve a do candidato do PSD, que disse tratar-se de um «acto antidemocrático» (pois claro...); a do candidato do CDS/PP, que pediu «elevação e educação na campanha eleitoral» (pois claro); e a do candidato do BE, que «disse tratar-se de uma manifestação de sectarismo» (pois claro...)

Jerónimo de Sousa disse não comentar o que não viu - e disse bem, ou seja, não embarcou na provocação.
Por isso lhe cairam todos em cima. E em alguns casos da forma mais primária e estúpida, como foi o caso do Público que, na sua rubrica «sobe e desce» colocou o secretário-geral do PCP a «descer», socorrendo-se deste «argumento» demencial: «terá ele visto a Revolução de Outubro de 1917 que os comunistas tanto glorificam?» ...
(«Argumento» que, se não estou em erro, foi copiado de um comentário produzido por um exaltado visitante do Público on line...)

Quer tudo isto dizer que a provocação vai continuar.
Provavelmente com benefícios eleitorais para os seus autores e amigos.
Provavelmente com prejuízos eleitorais para os alvos da provocação.

O que quer dizer que os activistas da CDU terão que dedicar ainda maiores esforços à campanha eleitoral.

E é isso que iremos fazer.

11 comentários:

Crixus disse...

Contra todas as manobras, provocações, insultos e desinformações a nossa vontade tem de se manter inquebrantavel. As manobras baixas voltaram em força, muito bem preparado, o Avó Cantigas com os jornalistas a ser alvo de "agressões", e logo ele um amigo dos sindicatos e dos trabalhadores...
A luta continua

CRN disse...

Fernando,

Cá estaremos, sempre!

A revolução é hoje!

Ludo Rex disse...

A Luta continua!
Abraço

samuel disse...

Esforço extra... mas por uma grande causa!

Abraço.

Maria disse...

Exactamente, outra vez!
É apenas "um bocadinho" de trabalho a mais, mas não estamos aqui para o fazer.
Motivação não nos falta. Já para dia 23.
Vamos ao trabalho, Camarada!

Um beijo grande

GR disse...

Para além de muitos outros trabalhos, esforcemo-nos para que no dia 23 de Maio façamos da Marcha de Indignação e Protesto, uma das maiores Manifestações.
Só com a CDU é possível, uma vida melhor.

GR

Chalana disse...

Há, pelo menos, um conhecido militante do Bloco de Esquerda que surge visível, nas imagens da reportagem da RTP1, a agredir o Vital Moreira.

Ana Camarra disse...

Enfim era o que queriam era esse o caldinho armado, inegavél o ar de satisfação do Europeu!

Antuã disse...

Não há provocação que nos atemorize. o Vital é um suíno que não serve nem para dar aos cães.

Anónimo disse...

"Os cães ladram e a caravana passa!"
...ou seja:
- Eles falam, falam e a CDU cresce!
Abraço
Rui Silva

Fernando Samuel disse...

Crixus: a luta continua - e cada vez mais forte.
Um abraço.

CRN: sempre, para o que der e vier.
Um abraço.

Ludo rex: e isso é o mais importante.
Um abraço.

samuel: por isso, até o esforço parece menor...
Um abraço.

Maria: aliás, já estamos habituados. Vamos a isso.
Um beijo grande.

GR: e vai ser, certamente, uma forte Marcha.
Um beijo.

Chalana: se tu o dizes...
Um abraço.

Ana Camarra: é pena que haja quem caia sempre na armadilha provocatória.
Um beijo.

Antuã: as provocações são um instrumento habitual deles, não são surpresa.
Um abraço.

Rui Silva: e para que a CDU cresça teremos que trabalhar muito.
Um abraço.