QUE LINDO DIA!

Que bela Greve Geral!
Como se esperava, é a MAIOR DE SEMPRE- e tão grande está a ser, que é mais do que se esperava que fosse.

«É a voz do trabalho, a voz dos trabalhadores a fazer-se ouvir» - afirmou Francisco Lopes, candidato do PCP às presidenciais, junto de um piquete de greve.
E é isso mesmo!
E essa é a mais forte de todas as vozes, a que mais FUTURO traz consigo.

Os propagandistas que fazem contas aos «graves prejuízos causados pela greve» - milhões e milhões de euros, dizem eles - nem se apercebem que, com tais contas, estão afinal a confirmar que é o trabalho que produz a riqueza do País - O TRABALHO e não os «mercados», e não o capital...
Porque «os trabalhadores são a força da Nação».

Uma palavra especial de boas-vindas aos milhares de trabalhadores que hoje estão a fazer greve pela primeira vez - e, entre esses, os milhares de jovens trabalhadores com vínculo precário que, vencendo corajosamente as ameaças e as chantagens, ousaram utilizar direitos conquistados pela luta das massas trabalhadoras ao longo dos tempos.
Que venham para ficar, é o que se deseja.


A Greve Geral é o pesadelo dos exploradores e do Governo que serve os seus interesses - mais ainda quando ela atinge a dimensão, a amplitude e a força desta.
Daí que tentem tudo por tudo para a sufocar, não hesitando a chamar a intervir os seus habituais instrumentos repressivos.
São vários os casos de empresas em que a GNR/PSP e (ou) patrões tentam, pela força, impedir a greve, violando e espezinhando direitos dos trabalhadores consagrados na Constituição da República, portanto agindo fora da Lei Fundamental do País.
Mas os trabalhadores resistem - e a Greve Geral continua...

O DN de hoje entrevista uma série de pessoas que, na maioria dos casos, dizem «não» à Greve Geral e apresentam «argumentos»...
Dois exemplos:
1 - Rita Silva, presidente da Associação Animal, diz que não faz greve porque «os animais não se compadecem com essas situações» (?) e ela «trabalha por uma causa e as causas estão à frente das greves»...
Pobres animais que têm os seus direitos entregues a uma pessoa que trata tão mal os direitos dos humanos...

2 - Pedro Salgueiro, assessor do CDS/PP: «não vou fazer greve. Nunca fiz, por princípio».
Aposto que se tivessemos um governo de esquerda a fazer uma política de esquerda, este cavalheiro mandava o «princípio» às urtigas e fazia todas as greves que pudesse - e incitaria as damas de branco das suas relações a virem para a rua com tachos e panelas...


Mas, vozes de burro não chegam... à Greve Geral, que aí está, em cheio, a mostrar o poder da força organizada dos trabalhadores - um poder que tem consigo a força necessária para, quando o entender, partir ao assalto do céu...


O Cravo de Abril saúda calorosamente os trabalhadores que hoje, dia 24 de Novembro de 2010, estão a erguer a maior, a mais bela, a mais forte Greve Geral de sempre e a dar-nos a certeza de que amanhã... A LUTA CONTINUA.

14 comentários:

samuel disse...

É um dia memorável!

Abraço.

Maria disse...

O dia de hoje está a ser, é, um dia carregado de FUTURO!!!
Viva 'a maior, a mais bela, a mais forte Greve Geral de sempre'!

Um beijo tão grande como a nossa alegria.

Anónimo disse...

abraço, a todos os que estão nesta luta.

vovómaria

Antuã disse...

E a luta continua.

Graciete Rietsch disse...

Grande Greve. Grande Luta.Excelente post.

Um grande beijo.

salvoconduto disse...

Saudo mais um blogue em greve postando. É isso mesmo!

Abraço.

Bolota disse...

A LUTA CONTINUA

Manuel Rodrigues disse...

Também aqui por Viseu foi assim. Uma histórica participação, envolvendo trabalhadores de serviços que nunca tinham participado numa greve geral. Mas, o que é mais interessante é verificarmos que o sentimento de muitos grevistas trazia algo de novo: a sensação de que por mais tenebrosas que sejam as políticas (e os discursos que as procuram tornar inevitáveis) é possível derrotá-las e a ideia de que há outro rumo (para muitos ainda sem contornos definidos)para a nossa vida colectiva. Que irão dizer, agora, os comentadores ao serviço da cartilha do capital?...

filipe disse...

Uma grande e já histórica vitória dos trabalhadores portugueses e da sua luta, do seu Movimento Sindical Unitário - a CGTP-IN - e do seu Partido de classe de sempre - o Partido Comunista Português.
Compartilho o teu abraço caloroso e fraterno a todos os camaradas e a todos os trabalhadores em luta, por este seu e nosso tão grande sucesso.
Viva a Greve Geral, viva a luta dos trabalhadores!
Um abraço, muito forte e muito sentido. A luta, continua!

Anónimo disse...

Uma greve como prenda de Natal ao poder. Bela greve!
Como está "historicamente" longe a greve de Janeiro de 1934.

Como diz Garcia Pereira, sem a derrota política do revisionismo os trabalhadores estão condenados à derrota.

Justine disse...

Pois claro que tem de continuar! Ontem foi apenas mais um passo...

Manuel disse...

Grande greve. Pena é que mais uma vez o discurso não tenha correspondência com a prática. Os amigos do Bloco de Esquerda com televisões e rádios atrás participaram (com cravito ao peito) mas os vereadores eleitos em Salvaterra de Magos foram trabalhar e deram-se ao trabalho de rasgar o aviso afixado à porta do edifício da Câmara.

svasconcelos disse...

É mesmo isso Fernando Samuel: A luta vai continuar, ontem foi só o "começo"...
beijo

Fernando Samuel disse...

samuel: histórico.
Um abraço.

Maria: grande dia!
Um beijo do tamanho da Greve.

vovómaria: eles bem o merecem.
Um beijo.

Antuã: sempre!
Um abraço.

Graciete Rietsch: é lutando que lá chegaremos...
Um beijo.

salvo conduto: uma abraço e a luta continua.


Bolota: sempre!
Um abraço.

manuel rodrigues: isto vai, meu amigo, isto vai...
Um abraço.

filipe: a luta continua.
Abraço grande.

Anónimo: Pois.

Justine: e outros passos se seguirão...
Um beijo.

Manuel: é assim...
Um abraço.

smvasconcelos: vamos ter muito que lutar!...
Um beijo.