AFINAL, HAVIA... COISA

Ontem comentei a entrevista do ministro Amado ao Expresso.
Mal sabia eu, ao escrever o que escrevi - designadamente sobre o hipotético futuro político do entrevistado - que afinal havia... coisa...

Com efeito, o Público de hoje revela que a hipótese de Amado substituir Sócrates no cargo de primeiro-ministro está a ser «ponderada» já há alguns meses - precisamente desde Maio, altura em que foi decretado o PEC 1.

«Ponderada» por quem?
«Por dirigentes do PS, por outras figuras públicas e também por alguns empresários» - informa o jornal.

Se assim é - e tudo leva a crer que sim, vindo a informação donde vem - então, repito, afinal havia... coisa.
E coisa grossa!
Porque, reparem: se os «ponderadores» fossem, apenas, «dirigentes do PS» e «outras figuras públicas», a coisa não seria por aí além relevante, pois estaríamos perante mais uma daquelas guerrinhas de bastidores, em busca do tacho, com traições e facadas nas costas, tão usuais na família da «grande coligação»...

Mas entre os «ponderadores» há, informa o órgão oficial da Sonae, «alguns empresários»!
E aí, a coisa fia mais fino.

Não acham?

11 comentários:

Justine disse...

Tudo isto mete nojo!!

Maria disse...

O poder económico a mandar o poder político, novamente. Agora descarada.mente!

Um beijo grande.

do Zambujal disse...

A "coisa" fia mais fina (é uma maneira de "dezer"...) e cheira cada vez pior!

Abraço

samuel disse...

Os "grandes empresários" estão cansados de enviar recados e colocar secretários de estado... e apontam ainda mais acima?

Abraço.

trepadeira disse...

Também temos de apontar mais acima,não vamos só acertar-lhes nas pernas.Julgo que é uma metáfora.
Um abraço,
mário

joão l.henrique disse...

Desde o 25 de Abril que o poder económico vêm ameaçando a «nossa liberdade», tentado dominar o poder político.

Estejamos atentos.


Um abraço.

svasconcelos disse...

É feio. E altamente conspirativo. Com os empresários pelo meio, é execrável. São os meios que usam para fazer perdurar o fim, que é o capitalismo.

Um beijo,

Graciete Rietsch disse...

Soa fino e perigoso.
Eles não dão ponto sem nó.

Um beijo.

Antuã disse...

Acho que é execrável.

Nelson Ricardo disse...

A canalha já vê que resolve pouco com Sócrates e já há quem se queira aproveitar. Quem serve ao Capital não serve a mais ninguém.

Um Abraço.

Fernando Samuel disse...

Justine: sem dúvida.
Um beijo.

Maria: é uma «inevitabilidade»...
Um beijo grande.

do Zambujal: tresanda...
Um abraço.

samuel: se calhar é isso...
Um abraço.

mário: boa metáfora...
Um abraço.

joão l.henrique: mais precisamente desde que Soares iniciou a contra-revolução...
Um abraço.

smvasconcelos; os empresários é que dizem como é...
Um beijo.

Graciete Rietsch: pois não...
Um beijo.

Antuã: e eu também acho.
Um abraço.

Nelson Ricardo: o capital tem sempre as suas reservas...
Um abraço.