POEMA

FIANÇA


Como uma só cara tenho,
tenho uma palavra só.
Quem tem duas faz-me dó,
ou, pior, dele desdenho.
Sabedor de donde venho,
certo de para onde vou,
embora cego de pó,
em me encontrar me entretenho.
Sou senhor de algum engenho
e tenaz também o sou.
E àqueles a quem me dou
em dar-me inteiro me empenho.


Armindo Rodrigues

8 comentários:

Justine disse...

A força, a frontalidade e a honestidade. Tantos que não sabem o que este poema significa...

samuel disse...

Olha... mais um, que dos calcanhares do António queria era distância...

poesianopopular disse...

...e não é que, o armindo Rodrigues, tinha a mania de pensar, e dizer estas coisinhas simples!
Obrigado camarada, por partilhares connosco estas palavras medicionais do Armindo Rodrigues.
abraço

momentosydocumentos disse...

Nem mais... Assim se fala.
Abraço

Maria disse...

Belo este poema (como os outros dele). Mas este com uma força especial... pelo menos assim o li hoje.

Um beijo grande

Fernando Samuel disse...

Justine: tantos, tantos, tantos!
Um beijo.

samuel: e que distância!...
Um abraço.

poesianopopular: o armindo era assim...
Um abraço.

momentosydocumentos: assim falava e assim fazia o Armindo...
Um abraço

Maria: uma força cheia de actualidade...
Um beijo grande.

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

Por acaso é das coisas que mais incomoda.

beijos

Fernando Samuel disse...

Ana Camarra: se é!...

Um beijo.