POEMA

CANÇÃO DA FUNDAÇÃO DO NATIONAL DEPOSIT BANK


Pois não é?: fundar um banco
é bom para preto e para branco.
Se o dinheiro se não herda,
arranjai-o; senão - merda!
Boas são para isso acções;
melhores que facas, canhões.
Só uma coisa é fatal:
capital inicial.
Mas quando o dinheiro falta,
donde vem, se não se assalta?
Ai! não nos vamos zangar!:
donde outros o vão tirar.
De algum modo ele viria
e a alguém se tiraria.


Brecht

12 comentários:

Maria disse...

Actualíssimo!
Os dois últimos versos então...
Grande Brecht!

Um beijo grande

Justine disse...

Como o Brecht está vivo! Como ele percebe!

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

A minha avó, que era muito inteligente ensinou-me dois ditados:

"Quem cabritos vende e cabras não tem de algum lado lhe vêm!"

"Quem não rouba, nem herda, enriquece mas é merda!"

A minha avó era comtenporanea de Brecht, como tal acrescentava que quem herda, teve algum antepassado que roubou.

Beijos

poesianopopular disse...

F. Samuel
Será que...O HOMEM É BRUXO?
Abraço

Sal disse...

Este Brecht... Era fantástico. Custa a crer que tenha existido e escrito tudo o que escreveu, de tão fabulosa que é a sua escrita.
Obrigada.
bjs

Fernando Samuel disse...

Maria: grande Brecht!
Um beijo grande.

Justine: tudo!
Um beijo.

Ana Camarra: tens a quem sair...
Um beijo.

poesianopopular: até parece, não é?...
Um abraço.

Sal: mas existiu e escreveu...
Um beijo.

samuel disse...

"De algum modo ele viria
e a alguém se tiraria."

Como sempre... como sempre.
Mas não para sempre!

Abraço

Ludo Rex disse...

Nem mais... Só mesmo Brecht.
Abraço

Medronheiro disse...

vamos lá a ver se nos entedemos. Em português é assim. "Quem não rouba nem herda não sai da merda" ou "Quem não rouba nem fode é porque não pode".

dona tela disse...

Andamos para aqui a fazer catarses, é o que é.

O Puma disse...

Não basta ter razão

é preciso resistir

Fernando Samuel disse...

samuel: para não variar...
Um abraço.

Ludo Rex: ele sabia...
Um abraço.

Medronheiro: a língua portuguesa é muito traiçoeira...
Um abraço.

dona tela: hummmm...
Um beijo.

O Puma: essa é que é essa!...
Um abraço.