SACRIFÍCIO PUNGENTE

Salvador de Mello, Presidente do maior grupo privado de Saúde em Portugal - «José de Mello Saúde» - deu entrevista ao Diário Económico.
Tema da entrevista: «a perda da gestão do Hospital Amadora-Sintra».

O entrevistado não escondeu o seu desagrado com o acontecido, tanto mais que, segundo afirma, «O Amadora-Sintra contribuiu muito significativamente para a modernização do sector da saúde em Portugal», pelo que esta «decisão é um retrocesso de décadas» - e foi por aí fora na enunciação caudalosa das «vantagens» que aquela privatização trouxe para «Portugal».

Esqueceu-se, apenas, de dizer a verdade: que o Amadora-Sintra foi uma monumental negociata (concretizada, recorde-se, pelo então primeiro-ministro Cavaco Silva) e que este «Portugal» beneficiado com tais «vantagens» não é mais do que a auto-designação assumida, na circunstância, pela «José de Mello Saúde»...

O Diário Económico informa que o entrevistado acedeu (certamente com grande sacrifício pessoal, digo eu...) a dar a entrevista (que ocorreu no Hotel Albatroz, em Cascais) horas antes de partir de férias para a Tailândia - e traça o seu «perfil», começando assim: «É o décimo de doze irmãos, mas isso não o impediu de ter uma educação privilegiada. Estudou na Suiça...» - chiça, digo eu, curvado perante o sacrifício pungente que há-de ter sido o destes pais para proporcionarem a todos os doze filhos tal «educação privilegiada»!

E já nem quero ler mais: estou farto - farto até aqui... - de ler relatos de vidas sacrificadas, de sacrifícios pungentes...

14 comentários:

Crixus disse...

Toda a entrevista é um verdadeiro achado ,com o jornalista a perguntar aquilo que o entrevistado quer responder. O jornal, com o titulo da primeira pagina, ainda faz um favorzinho a Socrates, dois coelhos de uma cajadada...

Fernando Samuel disse...

crixus: sem dúvida: o entrevistador certo para o entrevistado certo, com um grande favor a Sócrates...
Um abraço amigo.

Antuã disse...

Esta gente não tem vergonha nenhuma. Ao menos se fosse de férias e por lá ficasse!...

Fernando Samuel disse...

antuã: não fica, não...

Sal disse...

Que nojo sinto de certos portugueses...
mas que orgulho sinto de outros certos portugueses.
Acabei de ler o post anterior.
Que contraste...

beijinhos

poesianopopular disse...

Este DESgoverno em vez de se peocupar com os noivos e os casamentos, era a estes senhores é que devia perguntar, onde roubam o dinheiro para poderem fazer estas vidas!
E ainda temos que pagar aos polícias para guardarem as fortunas destes ladrões!Eu nem gosto de pensar nisto,porque perco as estribeiras!
José Manangão

Fernando Samuel disse...

sal: é a diferença entre o joio e o trigo.

josé manangão: só que estes senhores são quem manda no governo...

vovó disse...

Esta é uma daquelas, infelizmente muitas entrevistas, que temos que ler aos zig-zagues e aos saltos, como nos relvados de certos jardins públicos "por mor" de evitar as bostas.

Abraço

Fernando Samuel disse...

vovó: e mesmo aos zig-zagues e aos saltos, aquilo cheira que tresanda...

Abraço amigo.

GR disse...

É um escândalo o Grupo Mello, no Hospital Amadora Sintra ter um prejuízo de 77,9 milhões de €, e ter a lata de dar esta entrevista.
Agora vai encher os bolsos em Braga.
O doente cada vez com menos direitos, roubados pelos sucessivos governos, com a machadada final no governo PS de Sócrates.
Maldito governo “patronal” dói ver doentes, sem dinheiro para se tratarem. Até já os doentes oncológicos esperam mais de 2,5 meses para uma consulta, 1,8 meses para a operação. Nem todos conseguem sobreviver 2 anos de espera!
Estamos num país desumanizado, cheio de ladrões.

GR

samuel disse...

A "Vóvó" do meu outro comentário era eu, só que o computador estava "virado" para a minha parceira, que diga~se de passagem, não iria lavar as mãos ao rio para dizer o que eu disse...
Sobre o "bendito" Amadora-Sintra, ainda um dia vou conseguir perceber porque é que sobre as trafulhices de milhões que o próprio estado está a investigar, se sabe ainda tão pouco, uma das "suspeitas" (presumivelmente inocente, pronto...) do caso subitamente vai para Ministra da Saúde e livra-se do "peso morto".
Se eu fosse desconfiado...

Fernando Samuel disse...

gr: estás enganada: o sr. Mello diz que estamos perante uma gestão modelar...

samuel: nesse caso será o que se chama matar dois coelhos com uma cajadada.

Mide disse...

Coitadinho do Salvador... pobre criancinha que soube ultrapassar as agruras da vida que a sua modesta ascendência lhe proporcionaram e se vê, agora, após tantos sacrifícios, maltratado assim pelo ingrato Estado português...
Que grande lata!

Fernando Samuel disse...

mide: é isso: que grande lata!