AS AMBIGUIDADES DE SAMPAIO

SOL NA EIRA E CHUVA NO NABAL

Jorge Sampaio, em entrevista publicada no Sexta (que, nesta semana pascal, saíu à Quinta), perguntado sobre se desejaria «ver o Governo governar mais à esquerda», respondeu deste jeito:
«No nosso século XXI, esquerda e direita tornaram-se conceitos ambíguos. Por isso, sempre que ouço esse género de comentários, interrogo-me «mas o que significa mais à esquerda ou mais à direita em termos de políticas concretas e sustentáveis?». A meu ver não podemos ficar reféns de debates ideológicos, cujo conteúdo deixou de ser claro. Importa, sim, contribuir para a renovação da prática governativa e para lhe dar conteúdos».

Traduza-se desde já: este paleio velho de Sampaio significa, em primeiro lugar e acima de tudo, total apoio à política de direita do Governo do seu colega Sócrates.
E, por arrasto, evidencia um profunda desonestidade intelectual e política - a par de uma incomensurável cobardia e de um escabroso oportunismo.

Com efeito, a «ambiguidade» detectada por Sampaio nos conceitos de esquerda e direita não passa de uma fuga invertebrada à assumpção frontal da sua verdadeira posição na matéria: a defesa da política de direita e a rejeição de uma política de esquerda.

Como é sabido, uma das linhas essenciais da actual ofensiva da ideologia capitalista dominante, consiste em proclamar «o fim das ideologias» e, portanto, entre muitas outras coisas, «o fim da ideia de esquerda e direita».
Assim ideologizando, os ideólogos do capitalismo decretaram «o fim da esquerda» e proclamaram a ideologia única da direita, disfarçada de não-ideologia.
Com isto, justificam as políticas de direita - exclusivamente ao serviço do grande capital - praticadas por governos de partidos socialistas por esse mundo fora - e, no que nos diz respeito, neste nosso pequeno mundo chamado Portugal.

Daí a «ambiguidade» papagueada por Sampaio, em ar de quem acaba de descobrir e desvendar a sensacional descoberta da pólvora.
A patranha é por demais primária, mas a sua profusa difusão tende a transformá-la em verdade absoluta para milhões de distraídos e em verdade utilitária para muitos sabidões - como é o caso de Jorge Sampaio que, sabendo que o conceito de esquerda é coisa bem concreta, bem viva, bem actual e, por isso, rentável... dele não quer abrir mão, para o que recorre á «ambiguidade»...

Sampaio não tem coragem de se assumir ideológicamente: posicionado, de facto, à direita, no apoio e no aplauso à política de direita do Governo de Sócrates, quer, ao mesmo tempo, manter uma certa imagem de esquerda...
Como a galinha que segue, cega, o risco de giz traçado no chão - o destino de Sampaio é seguir, cego, a linha traçada pela ideologia dominante - mas, ao mesmo tempo, fingindo-se de esquerda...
Sampaio quer o sol na eira e a chuva no nabal.
Não pode!
Ou é de esquerda - e pratica - ou continua a praticar direita.

Mas o mais importante é que, seja qual for a sua opção definitiva, a assuma frontalmente.
Sem ambiguidades.

8 comentários:

samuel disse...

Fernando Samuel, amigo...
Não provoques o Sampaio! Já viste se ele desata novamente a fazer discursos, a dificuldade que vamos ter para nos mantermos acordados?

Abraço

poesianopopular disse...

É bom não esquecer que Jorge Sampaio foi o único (socialista)que conseguiu dar uama bofetada de luva branca no clã Mário Soares.
Saltou da C.M Lisboa para a P. da Républica sem ter sido 1º Ministro.
Foi o primeiro (socialista ) a fazer uma coligação com a CDU para a Cãmara de Lisboa.
Actualmente a filha é assessora do nº2 do governo, o filho mal acabou de se formar teve imediatamente acesso a um lugar na PT.
Por estas e outras razões, não fico nada admirado que jorge Sampaio neste momento diga que "o conteúdo do debate entre esquerda e direita tenha deixado de ser claro".
Quem nasceu cinzento!
josé Manangão

Antuã disse...

o Jorginho sempre foi cobarde. não queiram que ele mude agora.

zambujal disse...

Jorge Sampaio é um dos "mitos democráticos" paridos pela social-democracia com a tintura (de iodo) do esquerdismo (não esqueçamos o MES!). Faz parte daqueles que provocam torcícolos aos que pretendem acompanhar algumas deambulações entre a "direita" e a "esquerda" de quem segue um caminho recto, isto é, de esquerda sem aspas... e sem ambiguidades.

Fernando Samuel disse...

samuel: obrigado pelo aviso, meu amigo, não voltarei a correr o risco...
Um abraço.

josé manangão: este Sampaio sabe-a toda, não é?
Um abraço.

antuã: eu nem quero nem espero que ele mude...
Um abraço.

zambujal: e a esquerda com aspas está no poder a fazer... a política de direita...
Um abraço.

Crixus disse...

A palavra é cobardia. E Sampaio não é o único, temos Manuel Alegre e outros "socialistas" que estão completamente controlados pela politica de Socrates, ou então apoiam-nas, o que os torna DEFINITIVAMENTE DE DIREITA.

GR disse...

O inglês anda a passear em prol dos tuberculosos, gostou tanto que vai ficar mais um ano. O dinheiro da muito jeito.
Por ano morrem em Portugal 337 vítimas de tuberculose. Ele vai dizendo que aqui está tudo bem.
Como sempre não diz o que sabe. Anda entre o nim e o nim, para se dar bem com deus e o diabo.
É socialista!

GR

Fernando Samuel disse...

crixus: cumprem, todos, o papel que lhes está destinado de, cada um à sua maneira, zelarem pela política de direita.
Um abraço.

gr: entre o nim e o nim está o SIM à política do grande capital...
Um beijo.