FRASES...

Frases na moda: «Racionalizar o trabalho», «democratizar a economia», «reformar as estruturas», etc, etc. - todas a puxar à modernidade...
Frases bonitas, todas, todas direccionadas para alvos cirurgicamente definidos, todas com o seu significado próprio: facilitar e embaratecer o desemprego; acabar com a contratação colectiva; aumentar o horário de trabalho; roubar nos salários e nos subsídios - ou seja: «racionalizar o trabalho» - vender ao grande capital nacional e estrangeiro, ao preço da uva mijona, o que resta de rentável no sector empresarial do Estado - ou seja: «democratizar a economia»...

Frases ornamentadas com outras frases, estas a puxar ao coração: «o tempo é de sacrifícios para todos», «é preciso sermos corajosos e encarar de frente a situação», «os portugueses são maiores que Portugal», «viva Portugal»...

Entretanto, a «democratização da economia» continua: o desemprego aumenta; o número da trabalhadores com salários em atraso dispara; os combustíveis atingiram o preço mais elevado de sempre; os transportes aumentarão para a semana; a destruição da legislação laboral está quase concertada; na Madeira, os doentes deixaram de ter comparticipação na compra dos medicamentos...

Mas não há problema: «os portugueses são maiores que Portugal»...

Olhem o Catroga: vai para a EDP, em cuja privatização colaborou activamente, a ganhar 639 mil euros/ano. Por isso diz, cheio de razão: «Considero que sou um candidato natural para a EDP»... é de homem! é de português!...
E com o Catroga vão vários ex-ministros e ex-secretários de Estado do Cavaco e do Barroso... - os omnipresentes Paulo Teixeira Pinto, Ilídio Pinho, Jorge Braga de Macedo, Celeste Cardona... - estes ganhando «apenas» 55 mil euros/ano.
E, no topo da «estrutura reformada», lá está o genial Mexia, de pedra e cal e euros: em 2010 recebeu 1, 1 milhões...

«Maiores do que Portugal», estes portugueses?: muito, muito maiores!...

10 comentários:

samuel disse...

Exactamente... não têm "cabimento"...

Abraço.

trepadeira disse...

Pode ser que consigam caber no lugar deles,a cadeia.

Um abraço,
mário

CRN disse...

Vendem o que nosso para se habilitarem a um plano de pensões.

Tribunal com eles!


Um abraço

Graciete Rietsch disse...

Palavras, palavras, palavras enquanto vão satisfazendo os seus "boys" e tentando enganar os portugueses.

Um beijo.

O Puma disse...

Uma vez mais

apenas mudaram as moscas

svasconcelos disse...

Isto é nauseante! Como é que se pode assitir a isto impávido? É urgente combater este Portugal que estes escroques estão a edificar! "O importante é não ter medo!". Fora com eles!

beijo,

josé Manangão disse...

É urgente saber, se os portugueses que votaram neles foram enganados.
Se não foram;são iguais a eles!
Se foram,é preciso saber até que ponto será possível a sua recoperação para o campo democrático,ou se temos na presença de outra doença.
Abraço

Maria disse...

Isto tudo é nojento. Não encontro outra palavra.
Ao mesmo tempo que cortam nas reformas e ordenados mais baixos estes sorvedouros do dinheiro alheio recebem ordenados chorudos. É imoral.
Mas espero que daqui a um mês, na rua, muito povo mostre o seu descontentamento.

Um beijo grande.

Olinda disse...

É vergonhoso¡E o povo anda tao adormecido,tao acomodado,que até incomoda.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Isto dá-me uma revolta, que me leva a ponderar se Jorge de Sena não estava coberto de razão quando dizia "um português pode ter duas atitudes face ao país: salvar Portugal ou salvar-se de Portugal".