POEMA

A GUERRA QUE AÍ VEM


A guerra que aí vem
não é a primeira. Antes dela
houve outras guerras.
Quando a última acabou
houve vencedores e vencidos.
Entre os vencidos o povo baixo
passou fome. Entre os vencedores
passou fome também o povo baixo.


Brecht

7 comentários:

anamar disse...

Em todas as guerras, é o mexilhão que se trama...

Maria disse...

É, são sempre os mesmos a passar fome...

Um beijo grande

Ludo Rex disse...

Brecht acerta sempre...
Abraço

Ludo Rex disse...

Pelas conquistas de Abril, é urgente Mudar de Rumo... Já!

samuel disse...

Alguém ganha com as guerras. Não é, decididamente, o povo baixo... seja de que parte for!

Abraço.

Ana Camarra disse...

Pois quem morre na Guerra, quem paga a Guerra, quem passa fome na Guerra são sempre os mesmos, mas um dia irão deixar de ser o povo baixo, irão erguer-se e reclamar Justiça!

Beijos muito grandes

Sílvia disse...

A realidade transcrita para este poema é reiterada tantas vezes ao longo da História. Conseguiremos transmutar isto um dia e eregir um mundo sem opressores e oprimidos,"vencedores e vencidos"...?
Bj
Sílvia MV