IGUAL A SI PRÓPRIO

«Um político assume-se» é o título do recém-publicado livro de Mário Soares.
Jornalistas, analistas, comentaristas &cmp; outros artistas, em vagas, têm vindo a enaltecer a «grande coragem» - escrevem eles - revelada por Soares ao assumir-se como político num tempo em que a imagem dos políticos anda pelas ruas da amargura...
É claro que não se trata de «coragem» nenhuma.
Trata-se, isso sim, da proverbial ausência de vergonha de Mário Soares que, sabendo melhor do que ninguém o contributo decisivo que deu para essa má imagem dos políticos, vem agora, armado aos cucos, assumir-se político e assim deixar embasbacados os seus aduladores de serviço...

Por outro lado, nos últimos dias Soares tem aparecido a dirigir fortes críticas ao governo e à sua política... preocupado que diz estar com as desigualdades, com os sacrifícios mal divididos, blá-blá-blá...
É outra vez a ausência de vergonha de Soares em acção.
Com efeito, ele sabe melhor que ninguém que a política que o actual governo está a levar à prática é a política de direita que ele, Soares, iniciou em 1976 e que a má divisão dos sacrifícios é parte integrante dessa política de direita, grande responsável pela desgraçada situação a que o País chegou.
E sabe, igualmente, quer o papel decisivo que desempenhou na organização da contra-revolução, quer os milhões de dólares, marcos, francos, libras, etc. que recebeu como preço da sua traição a Abril.

De maneira que, vir dizer agora que a sua vida «é uma vida de militância desinteressada (...) orientada por valores humanistas e princípios éticos e políticos»... só confirma que Soares continua igual a si próprio...

6 comentários:

Pata Negra disse...

Mário Soares?! Vou-me já embora e nem comento!
Um abraço porque não se pode esquecer de que

joão l.henrique disse...

MS,igual a si próprio e ou seu amigo Frank Carlucci.


Um abraço.

Olinda disse...

Totalmente de acordo.A história haverá de julgá-lo.

BlueShell disse...

Não posso concordar...realmente, não posso.
mas respeito a sua opinião, obviamente:
"Posso não concordar com o que dizes mas morrerei, defendendo até à morte, o direito que tens de o dizer"!
Abraço

Graciete Rietsch disse...

Esse "político" de nome Mário Soares pode assumir-se como coveiro do País que o recebeu de braços abertos quando ele regressou do seu exílio dourado.
Viva o 25 de ABRIL que teve como um dos principais destruidores esse corrupto mentiroso.

Um beijo.

Fernando Samuel disse...

Pata Negra: é tipo que já nem merece comentários..
Um abraço.

João l.henrique: amigo e dono...
Um abraço.

Olinda: um dia, seja lá quando for...
Um beijo.

BlueShell: pronto, não pode, não pode, mas eu limitei-me a enunciar factos, indesmentíveis factos... Obviamente, tem todo o direito de discordar.
Obrigado pela visita e pelo comentário.

Graciete Rietsch: e pode assumir-se como pai da política de direita que conduziu Portugal à situação actual...
Um beijo.