UMA ESTÓRIA DO PASSADO...

... ou: QUANDO O COELHO SAI DA TOCA


Em 18 de Janeiro, dois dirigentes sindicais - José Manuel Marques, do STAL e Marco Rosa, da FENPROF - foram presos e algemados pela PSP, junto à residência do primeiro-ministro.
Posteriormente, o processo de Marco Rosa foi arquivado pelo DIAP (sem ter havido contra ele qualquer acusação) e José Manuel Marques foi julgado e absolvido pelo tribunal.

Estavam as coisas neste ponto, eis senão quando... sai da toca um Coelho (Chefe de gabinete do MAI, Rui Pereira) e toca de ler a sua sentença...
Assim, decidiu e mandou publicar o Chefe Coelho que «a intervenção da PSP foi proporcional e adequada».
Porquê?: porque, diz o Coelho, os acusados desobedeceram à PSP - inclusive à ordem dada a um deles para «terminar com agressões sucessivas a um agente da PSP».
Coisa horrível, esta!
Estremeço só de imaginar a cena em que o terrível dirigente sindical agride brutalmente, sucessivas vezes, o pobre e indefeso agente da PSP...

Mas, pior - muito pior - do que isso foi a cena seguinte.
É que, acusa Coelho, além das «agressões sucessivas» ao agente da PSP, «os manifestantes fizeram rebentar um engenho explosivo de pequenas dimensões, vulgo petardo»...

Em tempos, o saudoso ministro Ângelo Correia divertiu-nos à brava com a «insurreição dos pregos».
Agora, vem o Chefe Coelho e faz-nos chorar a rir com a sua «insurreição do engenho explosivo, vulgo petardo».

Não há dúvida: este láparo - vulgo coelho - segue à letra os seus antepassados do salazarento/marcelento MAI, cuja tarefa principal era redigir «notas oficiosas» a decretar que a intervenção das forças da ordem foi «proporcional e adequada» e que os manifestantes não passavam de um bando de terroristas fortemente armados...

É claro que hoje - felizmente para nós e infelizmente para os coelhos - as consequências dessas «notas oficiosas» já não são o que eram...

Mas atenção: como o Brecht aqui nos veio dizer um dia destes, «o ventre, donde isto saiu, ainda é fecundo»...

11 comentários:

samuel disse...

Não terá sido o agente da PSP, que enquanto estava a ser brutalmente e sucessivas vezes agredido... soltou um traque?

Abraço.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Este é o chamado, coelho tirado da cartola !

Bolota disse...

“ Em tempos, o saudoso ministro Ângelo Correia divertiu-nos à brava com a «insurreição dos pregos».
Agora, vem o Chefe Coelho…”

Fernando,

Falta aqui um personagem também ele desbocado. Refiro-me ao agora sociólogo do sistema António Barreto, que quando ministro da agricultura nos tempos da reforma agrária defendia que as alfaias agrícolas tinham montadas armas automáticas, por exemplo G3.

Por isso os Coelhos vêem de Longeeeeeeeeeeeee.
Com o espaço de manobra que começam a ter, mais Coelhos surgirão.

Graciete Rietsch disse...

Pois as invenções sucedem-se e eu,como ando um pouco adoentada, nem digo mais nada.

Um beijo.

Antuã disse...

Os fascistas passeiam-se provocadoramente.

Maria disse...

Pois é, e continua a parir filhos da puta.
Adoro a palavra 'petardo'. Nem sei bem porquê... :))
Quanto ao coelho, descobri por aqui um que é feito com ameijoas. Servido com batatas às rodelas e o vinho à escolha - por mim PIAS.
Vamos?

Um beijo grande.

Anónimo disse...

Este Coelho (Rui Pereira) é o tal que faz lembrar o «Mr.Bean». Quanto à tomada de posição do ministro, é caso para pensar: alta polícia, baixa política.

(Jorge)

Antonio Lains Galamba disse...

passeiam-se... entre discursos pidescos.


Abraço grande

Fernando Samuel disse...

samuel: soltou um petardo...
Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira: estes «ilusionistas» sacam coelhos de todo o lado...
Um abraço.

Bolota: lembras bem - foi por essa altura que foi anunciada também a presença de agitadores cubanos fortemente armados...
Um abraço.

Graciete Rietsch: são as inventonas deles.
Um beijo ( e as melhoras)

Antuã: há-os por aí aos centos...
Um abraço.

Maria: ah! isso sim! E com amêijoas?: já estou a salivar...
Um beijo grande.

Jorge: a política deles...
Um abraço.

Antonio Lains Galamba: mais ou menos...
Abraço grande.

Anónimo disse...

Ao Bolota
O amigo lembrou uma das maiores merd.. que existem a falar de politica neste pais mas não falou da merd.a que o projectou para a politica e que foi o "nosso amigo" que tem umas bochechas lindas.
Viotor sarilhos

Pedro Namora disse...

Ao Zé Manuel Marques, na Casa Pia "O Aranhas": Nem imaginas o orgulho que senti ao ver-te firme e corajoso ante a investida policial. E depois a serenidade com que enfrentaste o Tribunal e, já absolvido, colocaste o acento onde era imperioso: a necessidade de se prosseguir a luta contra o bandalho sócrates. Apeteceu-me dizer a toda a gente que andámos juntos na escola, da 1ª classe ao 11ª ano, sempre na mesma turma.
Mas que é isso, com o saber-te meu camarada? Que orgulho por ter tido influência na tua adesão ao Partido.
A luta continua!